Dois atentados e 25 disparos pelo corpo, um que ficou alojado do lado do coração, não impediram a vítima de apontar quem foram os autores dos tiros. “Eu nunca tinha visto isso na minha carreira”, disse o delegado Tito Livio Barrichello, em entrevista à Banda B na manhã desta quinta-feira (13). A vítima que sobreviveu foi baleada em 2017 e setembro de 2018 por amigos de infância, com quem teve rixas ‘comerciais’ de origens ilícitas. Hoje, o delegado apresentou um dos responsáveis pelos tiros.

‘Sapo’ foi preso em São José dos Pinhais (Foto: Djalma Malaquias – Banda B)

“Vários projeteis foram retirados, inclusive um do lado do coração. É algo anormal realmente, que eu nunca tinha visto na minha carreira. Um caso foi em setembro de 2018, no bairro Uberaba, e o outro em 2017, pelos mesmos autores, por desavenças comerciais relacionadas a questões ilícitas”, disse o delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A prisão de Rafael Rodrigues de Lara Oliveira, vulgo Sapo, aconteceu após investigações sobre o atentado de setembro de 2018, uma tarde domingo.

“Eles estavam em três e entraram na residência da vítima em plena luz  do dia para matar. Um adolescente ficou no carro e os maiores desceram armados e dispararam várias vezes. Apesar disso, novamente o rapaz sobreviveu e reconheceu os autores dos tiros, que estavam encapuzados, mas com as tatuagens à mostra. “, contou Barrichelo.

Keulen é considerado foragido pela DHPP

O delegado ainda comentou que hoje a vítima dos tiros vive escondida, “Atualmente, o rapaz que levou os disparos está vivo, mas com muito medo e vivendo escondido. Ele virou uma ‘verdadeira peneira’ pelas marcas de tiros pelo corpo. É realmente impressionante ele ter sobrevivido”, destacou Tito.

Sapo foi preso no bairro Jardim Ipê, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O adolescente que ficou no carro foi apreendido e a polícia procura por Keulen Wendel dos Santos Diniz, que entrou na residência em setembro de 2018 e atirou contra a vítima.

Denúncias sobre o paradeiro de Wendel podem ser passadas, anonimamente, no 0800 da DHPP:  0800-6431-121.