Gás de pimenta usado pelo homem. (Foto: Reprodução/Catve)

Uma situação inusitada e declarada como “um momento de criancice” por um homem de 43 anos de idade deixou 19 pessoas intoxicadas por gás de pimenta em um supermercado em Cascavel, cidade do interior do Paraná. O homem esteve duas vezes no local, em dois dias distintos, para cometer a infração. Em disparadas de spray próximo aos caixas, ele deixou 12 pessoas intoxicadas na manhã de sábado, 3, e outras sete neste domingo, 4, quando acabou detido.

“Buscamos pelas imagens das câmeras de segurança e não o identificamos no sábado, mas na segunda vez observamos que ele fez o mesmo movimento do dia anterior, tirando algo do bolso e escondendo embaixo do braço. Isso chamou a atenção e os seguranças o abordaram e confirmaram que ele portava um spray de pimenta”, explicou o gerente do supermercado, Vanderson José Alves.

Em ambas as situações um grande aparato do Corpo de Bombeiros foi mobilizado ao local. “Enquanto as pessoas eram atendidas uma equipe verificava ser havia vazamento de CO2 ou outros gases, e constatou que a origem da intoxicação era diferente”, explicou a relações públicas do 4º Grupamento do Corpo de Bombeiros, Tenente Marcela Schwendler. Todas as 19 vítimas foram encaminhadas a unidades hospitalares em Cascavel, incluindo uma gestante. As vítimas têm de 17 a 30 anos.

Oficial da Polícia Militar que atendeu à ocorrência, o tenente Pietro de Prá e Silva diz que o homem detido pode pegar de um a quatro anos de prisão, mas que a pena pode ser ampliada. “Apenas forças de segurança pública podem portar e fazer uso desse tipo de spray. Tanto que até mesmo dentro da polícia só pode portar quem tem o curso. Por isso, o detido foi enquadrado no Art. 252 do Código Penal, que é expor a perigo a integridade física de pessoas mediante o uso de substâncias tóxica ou asfixiante. A pena é de um a quatro anos, mas todas as pessoas que sofreram o efeito de gás podem representar por lesão corporal, o que aumentar a pena dele.”

Detido, o homem de 43 anos disse que agiu num “momento de bobeira”: “Não sei se adianta, mas peço desculpa a todos pelo transtorno que causei. Peço desculpa às pessoas. Foi um momento de bobeira, de um cara velho, já, fazendo criancice”, diz o homem, que é segurança particular e teve acesso a spray ao retirá-lo de pessoas que tentavam entrar na casa noturna na qual trabalha.