Uma mulher ligou para a Polícia Militar (PM), na noite desta segunda-feira (16), dizendo que estava sendo ameaçada pelo ex-marido, em Rio Branco do Sul, região metropolitana de Curitiba.  Ela informou que o homem foi até a casa dela, na rua Manoel Borges de Macedo, e que, além da ameaça, disse que tinha acabado de matar uma mulher. Falou ainda, segundo ela, que o corpo da vítima estaria nas imediações.

Foto: Daniela Sevieri/Banda B

Quando a PM chegou no local, o homem levou a equipe até o corpo da mulher, identificada como Daniela Ribas dos Santos,  em um matagal, atrás da Secretaria de Educação. No entanto, aos policiais, o homem apenas alegou que teria desovado o corpo e que a mulher tinha sido morta por outra pessoa. Porém, moradores da região informaram à polícia que ouviram os gritos da vítima.

De acordo com a PM, a mulher morta, de 22 anos, tinha mandado de prisão em aberto e seria usuária de drogas. A prima, Jucélia Ribeiro dos Santos, disse que a vítima era uma boa menina. “A menina era tranquila, não sei o que aconteceu. Me disseram que ela estava morta e eu não acreditei. Cheguei a chorar, é minha prima”, lamentou.

Recusa de sexo

A irmã da vítima, que se identificou como Bruna, disse que a jovem teria sido assassinada por se recusar a fazer sexo com os agressores. “Ela não queria fazer sexo com os caras e eles mataram ela. Pegaram ela sozinha no mato. Eu tinha medo disso, de um cara tapar a boca da minha irmã e abusar dela”, disse.

A vítima foi assassinada com golpes de faca na região do pescoço. Ainda segundo a PM, a motivação do crime seria uma briga por drogas. Dois homens foram detidos como suspeitos da ação.

O caso segue investigado pela Polícia Civil de Rio Branco do Sul.