Foto: Divulgação

A Polícia Civil de Araucária, na região metropolitana de Curitiba, prendeu na manhã desta quinta-feira (10) um homem acusado de estuprar uma criança de doze anos. De acordo com as investigações do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (NUCRIA), a  vítima já havia sido violentada seis vezes pelo homem, com um último abuso cometido no Cemitério Água Verde, em Curitiba.

O delegado Tiago Wladyka, encarregado pela operação policial, afirmou que, após as denúncias da própria família da criança, a equipe começou as buscas pelo possível autor do crime. “Tomamos ciência de que ele estava escondido em Araucária. Determinei coordenadas ao setor de investigação, que promoveu uma minuciosa diligência, localizando o indivíduo no bairro Costeira, em Araucária”, contou.

Segundo a apuração do caso feita pelo NUCRIA, o rapaz mantinha contato com a criança por meio do Whatsapp enviando mensagens de áudio pelo aplicativo. O suspeito foi rendido em casa, sozinho com duas crianças de sete e nove anos, alegando serem suas filhas. De acordo com a polícia, as jovens são enteadas do acusado.

“Assim que a casa foi cercada, o suspeito percebeu a presença da polícia e se escondeu dentro da residência. Invadimos o local e efetuamos a prisão”, relatou o delegado. Foram aprendidas uma motocicleta e uma faca dentro do baú traseiro do veículo, possivelmente usada para a prática dos crimes sexuais.

O homem negou todas as acusações, mas foi desmentido pelos vizinhos, que tentaram agredi-lo durante a operação da polícia. “Várias pessoas disseram que ele mexia com crianças da região, chamando-as para ‘brincar’. Orientamos a todos que fossem até a delegacia de Araucária e registrassem um Boletim de Ocorrência”, disse Wladyka, que pretende usar as informações no inquérito.