Um assalto de grandes proporções foi registrado na madrugada deste sábado (2) em Ourinhos (SP), cidade na divisa com o Paraná a 371 km da capital. Vídeos publicados em redes sociais indicam que muitos tiros foram disparados. Um dos vídeos mostra que o grupo usou um refém como escudo humano em cima de um dos carros.

A Polícia Militar informou que todo o efetivo local e agentes de cidades vizinhas foram acionados. Uma pessoa ficou com ferimentos leves, mas que não foram causados por armas de fogo. Pelo menos um banco da cidade foi saqueado, mas até o momento não há informações sobre valores.

Em vídeos publicados nas redes sociais é possível ouvir o barulho das enormes rajadas:

Uma delegacia da Polícia Militar foi cercada por quatro carros durante a ação, que aconteceu entre 1h e 3h. A base da PM na região central foi alvejada, além de estabelecimentos bancários e comerciais. Informações preliminares são de que o grupo contava com uma frota de dez veículos e portavam armas de grosso calibre.

A página de um veículo de comunicação em uma rede social transmitiu ao vivo um vídeo em que se escutavam rajadas de metralhadora. Mais tarde a mesma página mostrou lojas e a base policial atingidas por tiros.

Segundo informações levantadas pela Banda B, de acordo com testemunhas, o banco saqueado seria uma agência que comportaria todo o dinheiro destinado ao auxílio emergencial. Ainda, os bandidos teriam usado drones para visualizarem o movimento na região.

Atualização

Em entrevista à Banda B, na manhã deste sábado (2), o capitão Alisson, do 31º Batalhão de Polícia Militar (PM) de Ourinhos, explicou que pelo menos 30 criminosos invadiram uma agência do Banco do Brasil, estouraram os cofres e confrontaram com os policiais.

“Duas pessoas que estavam circulando nas proximidades acabaram sendo alvejadas por projéteis de balas usadas durante o confronto”, disse. E outras acabaram se tornando reféns e servindo de escudo.

Os assaltantes estacionaram um carro em frente e atrás da delegacia, e instalaram explosivos nos portões para que ninguém entrasse ou saísse do local.

O capitão ainda afirmou que, após o confronto, os bandidos fugiram por diferentes direções e que, inclusive, alguns teriam entrado no Paraná.

Não há informações sobre a quantia levada.