A Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Governo do Paraná (Sejuf) lançou, nesta quarta-feira (21), o portal Força-Tarefa Infância Segura (Fortis) e a campanha “Não cale sua Voz“, no Palácio das Araucárias, no bairro Centro Cívico, em Curitiba. Ambas as ações têm o objetivo de combater e prevenir a violência contra crianças, já que o número de casos envolvendo esse tipo de situação vem aumentando em meio à pandemia.

“Nós constatamos que, durante a pandemia, e ante a ela, de janeiro a agosto de 2020, foram registradas 1.168 denúncias relacionadas à violência contra crianças“, disse o secretário da Sejuf, Ney Leprevost, durante entrevista à Banda B. De acordo com ele, os casos, que vão de violência psicológica à sexual, foram informados ao Disque Denúncia pelo telefone 181.

Foto: Marcelo Borges/Banda B

Além do secretário da Justiça, Família e Trabalho, estiveram presentes no lançamento o novo diretor do Departamento da Justiça e coordenador-geral da Força-Tarefa Infância Segura, Silvio Jardim e representantes da Celepar e da Educaplay/Secretaria da Educação e do Esporte.

Força-Tarefa Infância Segura

Com o slogan “Junte-se a nós nessa grande rede de proteção“, o portal da Fortis traz também um mapa de georreferenciamento da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente no Estado.

Foto: Divulgação

Segundo Ney Leprevost, o portal, que tem o intuito de divulgar e ampliar essa rede de proteção, mostra os diferentes municípios onde ele está funcionado. “A rede envolve a área da saúde, segurança, educação, assistência social, e servirá como um instrumento para todos agirem juntos a fim de prevenir e combater os crimes contra as crianças”, disse.

Acesse o portal clicando aqui.

“Não cale sua voz”

Sobre a campanha “Não cale sua voz”, o secretário destacou que esta é inteiramente comunicacional, que tem o propósito de mobilizar a sociedade contra os casos de violência doméstica envolvendo crianças e adolescentes. Porém, surge também para interagir com as famílias e falar diretamente com as vítimas.

Durante a pandemia, a rotina familiar mudou muito. As crianças têm permanecido mais com os pais e, com isso, infelizmente aumenta a violência. Seja devido ao desespero de pais que estão desempregados ou por estarem muito estressados e ansiosos. Isso nos preocupa muito”, afirmou Leprevost.

Ao concluir, Ney ainda destacou a importância da denúncia de casos envolvendo a violência. “É importante que saibam detectar esse tipo de crime e denunciem ao 181″.