Um dia após a divulgação de imagens da ação criminosa de duas mulheres contra uma loja de cosméticos de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, a reportagem da Banda B recebeu, nesta terça-feira (4), novos vídeos em que o suposto grupo age novamente. Desta vez, uma loja de roupas, também localizada na Avenida Francisco Kruguer, foi alvo de um furto da “Gangue da Xuxa”, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

De acordo com o proprietário Elieder Petroski, o crime ocorreu na quinta-feira (30), um dia antes do furto na loja de cosméticos. Ao mesmo tempo, quatro mulheres entraram na loja da nova vítima.

“Uma senhora, duas de meia idade e uma criança de, aproximadamente, 12 anos. Como elas estavam em quatro, uma encobria a outra. Uma ficava na frente, enquanto a que estava atrás fazia a ação. Não dava para perceber. Mas, quando vamos olhar nas câmeras, é possível ver como elas são rápidas”, explicou à Banda B.

 

Momento do flagrante do furto na loja de roupas. Foto: Reprodução.

 

O dono afirmou que chegou a oferecer ajuda ao grupo. No entanto, depois de ser recusado, as mulheres ainda alegaram que levariam pouco tempo na loja. Por se tratar de uma situação habitual, Petroski reconheceu que a fisionomia das mulheres não levantavam nenhuma suspeita.

“Elas começaram a olhar as roupas e gastaram algo próximo de um minuto e meio fazendo isto. Neste tempo, elas levaram de quatro a cinco peças”, pontuou.

A Delegacia de Almirante Tamandaré investiga o caso.

Prejuízo

Com a pandemia de covid-19, a loja ficou fechada por cerca de 15 dias devido ao decreto estadual. Agora, o comerciante tenta se recuperar do prejuízo ainda maior por causa da ação da “Gangue da Xuxa”.

“Não podemos abrir aos sábados e o movimento caiu bastante. Aí, vem pessoas com esta índole aí e se aproveitam da situação. Então, é bom os comerciantes ficarem bem espertos. Quando entrar três ou quatro mulheres juntas, é bom ficar esperto”, concluiu Petroski.

Vídeo