(Foto: Djalma Malaquias – Banda B)

 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná cumpriu, na manhã desta quinta-feira (14), quatro mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Cricket. A investigação é para acabar com uma associação criminosa que pratica a venda de loteamentos ilegais.

De acordo com a 5ª Promotoria de Justiça de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, responsável pelas investigações, o grupo vem atuando desde janeiro de 2015 com a comercialização irregular de lotes situados em áreas de preservação no município de Campo Magro. Foi constatado ainda que, quando percebiam que haviam sido lesados e suspendiam os pagamentos, os compradores eram ameaçados, com armas, pelos integrantes da associação criminosa. Em alguns casos, os criminosos chegaram a invadir as residências dos compradores.

Foram identificadas cerca de 70 famílias lesadas com a prática e, pelo menos, nove processos de rescisão de contrato tramitam na justiça, tendo os advogados que postularam as medidas judiciais sido ameaçados pelos criminosos. Os investigados são suspeitos da prática dos crimes de parcelamento irregular de solo urbano (Lei 6.766/79), crimes ambientais (Lei 9.605/98), estelionato e contra a relação de consumo (Lei 8.078/90).

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos em Curitiba (três mandados), Almirante Tamandaré (dois), Ponta Grossa (um) e Guaratuba (um). Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Almirante Tamandaré.