(Foto: Reprodução/StreetView)

 

O jovem William Patrick da Luz, de 23 anos, prestou depoimento à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Curitiba, nesta quinta-feira (19). Ele é acusado de matar o próprio pai, Daniel Pereira da Luz, com golpes de facão dentro de casa no bairro Campo de Santana, em Curitiba, na madrugada desta quarta (18).

Aos investigadores, o rapaz disse que agiu em legítima defesa, como explicou o advogado Thiago Marinho. “Ele afirmou que o pai chegou alterado na residência, porque teria usado crack e bebida alcoólica, e tentou golpear o filho com duas facas. Nisso, Patrick pegou o facão e acertou Daniel, mas tudo em legítima defesa”.

Segundo ele, o acusado não usou nenhum tipo de entorpecente no momento do crime. “O Patrick disse que o pai estava alterado, ameaçando os amigos dele e, por isso, ele precisou intervir. Como ele se apresentou e não representa perigo para a comunidade, deve responder o processo em liberdade. Agora, nós vamos esperar a comprovação da legítima defesa e a absolvição do meu cliente”, completou.

Apesar da alegação do acusado, a delegada Aline Manzatto, da DHPP, declarou que a forma com que os golpes foram desferidos por Patrick não caracteriza legítima defesa. “Ele alegou isso, como nós já imaginávamos, porque tinha dois facões na cena do crime. No entanto, a quantidade de golpes foi muito desproporcional, segundo uma testemunha. Ela disse que o acusado prensou o pai contra a parede, segurou o pescoço dele e fez pelo menos três cortes na cabeça, quase amputando a orelha da vítima”.

Ainda segundo o depoimento da testemunha, Daniel caiu no chão e Patrick continuou a atacá-lo, várias vezes. “A própria testemunha pediu para ele parar, mas ele não obedeceu. O acusado chegou até mesmo a dizer ‘antes você morto do que eu’. O Patrick só parou quando se certificou de que o pai estava morto. Ou seja, pode até ter tido uma legítima defesa no começo da briga, mas devido ao ataque desproporcional, o suspeito vai responder por homicídio”, comentou a delegada.

A mesma testemunha informou que a briga aconteceu porque Patrick estava usando cocaína dentro do terreno da residência. A Polícia Civil deve continuar as investigações para concluir o inquérito. Como o acusado não tem antecedentes criminais e se apresentou à polícia, ele deve responder o processo em liberdade.

 

Notícia relacionada