(Foto: Divulgação Polícia Civil)

Mal tratar, apropriar-se de bens, coagir o idoso, entre outras inúmeras infrações que contam no estatuto do idoso é crime e o responsável é punido. Foi o caso de um homem de 40 anos, preso em flagrante por policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), na quarta-feira (10/10), no bairro Campo Comprido, em Curitiba. Ele é suspeito de se apropriar dos bens e proventos da mãe, que é uma idosa de 72 anos.

O crime foi denunciado na delegacia no setor de vulneráveis pela própria família, o que resultou na prisão do homem. De acordo com a polícia, o crime aconteceu após o filho pedir para a vítima dinheiro para comprar drogas e a mãe não deu.

Quando os policiais chegaram no local, ele estava saindo da casa com três pacotes de café para vender em biqueiras para poder usar droga. “Durante as diligências, a equipe policial contatou que contra ele que havia um mandado de prisão em aberto contra um crime de roubo, cumprindo no momento do flagrante”, conta o delegado responsável pelo caso, Cássio Conceição.

O mandado que constava em seu desfavor foi expedido pela 1ª Vara de Execuções Penais de Curitiba. No momento da prisão o suspeito usava tornozeleira eletrônica. Na delegacia, ele foi ouvido e negou todos as denúncias contra ele.

Ele foi autuado pelo crime de apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro rendimento do idoso, sob pena de um a quatro anos de reclusão.