A situação teve início quando Jean (foto) e a esposa saíram de um show na sede social do Paraná Clube. (Foto: Arquivo pessoal)

 

Uma família de Curitiba acusa um motorista do aplicativo 99 de ter atropelado de propósito um jovem de 29 anos após uma discussão na madrugada deste domingo (9). Jean Ricardo Martins Cavalli foi socorrido ao Hospital Evangélico em estado grave, onde permanece internado, em coma, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A irmã do rapaz, Karin Martins Cavalli, contou à Banda B que a situação teve início quando Jean e a esposa saíram de um show na sede social do Paraná Clube, na Avenida Presidente Kennedy. “Lá, eles resolveram pedir carona pelo aplicativo até em casa. Durante o trajeto, o meu irmão vomitou no veículo, porque estava embriagado. Nisso, o motorista pediu R$ 200 para que ele pagasse a limpeza, mas Jean não concordou, e os dois começaram a discutir”, relatou.

A vítima permanece internada no Hospital Evangélico. (Foto: Arquivo pessoal)

De acordo com ela, por causa do bate-boca, o condutor teria mudado a rota, momento em que a esposa do rapaz pediu para que ele não fizesse isso e levasse os dois para casa. “A minha cunhada falava para ele seguir o caminho certo, porque ela estava com medo e não queria confusão. Ele aceitou e foi até a residência, que fica na Rua Antônio Escorsin, no bairro São Braz”, completou Karin.

O carro parou na frente da casa e Jean desceu. Segundo a irmã, no entanto, o motorista arrancou o veículo com a esposa do rapaz ainda dentro. “A minha cunhada reclamou mais uma vez, pediu para que o cara parasse o automóvel, o que ele fez uma quadra para frente. Assim que ela saiu, o Jean foi correndo e chutou o carro”.

A denúncia dá conta de que, nesse momento, o motorista deu a volta e atropelou Jean de propósito. Ele fugiu logo depois da colisão. “Nós não conseguimos entender por que ele fez isso. A esposa do meu irmão pagou os R$ 200 que o cara tinha pedido para a limpeza do carro. Ela pagou, não tinha motivo para isso. Agora nós estamos desesperados, porque o Jean sofreu traumatismo craniano e está em coma, entre a vida e a morte”, lamentou.

“Queremos justiça”

Karin disse que agora a família pretende processar o motorista. “Nós também entramos em contato com o pessoal do 99, eles nos informaram que vão tomar todas as medidas cabíveis. Vamos aguardar, até porque eles sabem a identidade e o carro do rapaz, já que tudo fica registrado no próprio aplicativo”.

A esposa de Jean, que preferiu não se identificar, também está revoltada com a situação. “A corrida deu R$ 39 e nós pagamos R$ 200, pela viagem e pela limpeza. Mesmo assim, esse homem voltou e atropelou o meu marido. O Jean está em coma, sedado e eu quero que alguém faça alguma coisa, que tome alguma providência”, desabafou.

A família registrou um Boletim de Ocorrência contra o motorista do aplicativo na manhã deste domingo (9) por lesão corporal. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil.

Resposta

Sobre a denúncia, a Banda B entrou em contato com a assessoria da empresa 99 em Curitiba e recebeu a seguinte nota oficial:

“A 99 está apurando a ocorrência para tomar as providências cabíveis, porém não recebeu informações sobre a corrida em que o incidente teria acontecido. A empresa lamenta o caso e se encontra aberta a colaborar com as autoridades, caso necessário”.