Por Elizangela Jubanski

A família da garota Tayná Adriane da Silva, 14 anos, que desapareceu e morreu no fim do mês passado, quer ficar longe das ruas que a garota caminhou pela última vez. Eles estão se mudando do bairro São Dimas, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, para outra região, no mesmo município. O corpo da adolescente foi encontrado em um poço ao lado de um parque de diversão, no dia 28 de junho, e desencadeou um dos casos de maior repercussão do Paraná.

A mãe da menina, Cleuza da Silva, afirmou à Banda B que não aguenta a espera pela justiça. “Todo dia tem alguma coisa sobre ela, não consigo mais ter forças nesse lugar. Queremos uma reposta o quanto antes”, disse. A irmã de Tayná disse que mãe tem crises de choro e não consegue voltar à vida normal. Os parentes da garota veem a mudança como uma tentativa de amenizar o sofrimento. “É difícil passar aqui todos os dias”, disse a mãe.

Moradores do bairro onde a adolescente desapareceu também já afirmaram à Banda B que se sentem inseguros, já que o verdadeiro assassino pode estar solto. “Fico preocupada porque meus filhos estudam à noite, não durma até eles chegarem”, afirmou uma moradora próxima do local, que pediu para não ser identificada.