Elder Coutinho morreu atropelado em Assis Chateubriand – Reprodução

Após ouvir testemunhas e a esposa do motorista que causou a morte do ex-jogador de vôlei e secretário de Esportes de Assis Chateaubriand, Elder Franzoi Coutinho, 29 anos,  o delegado Tiago da Silva Teixeira pediu a prisão preventiva do condutor, de 34 anos, preso em flagrante pela polícia. A medida é para evitar qualquer obstáculo nas investigações. Além do homicídio qualificado, o suspeito também deve responder por duas tentativas de homicídio, já
que um adolescente de 13 anos e uma criança de 8 também foram atingidas pela caminhonete conduzida por ele.

Para o delegado, tudo indica que Elder foi atropelado por ciúmes do condutor, já que a esposa dele teria tido um caso com o secretário. “Com base nas testemunhas que ouvimos, concluímos que o crime foi passional, por ciúmes. Em depoimento, a esposa do autor disse que teve um relacionamento extraconjugal com a vítima [o ex-jogador] e que o marido descobriu o caso na terça-feira”, comentou o delegado em entrevista ao Portal G1.

Caminhonete invadiu o ginásio de esportes – Foto: Catve

Na quinta-feira, quando houve o acidente e a prisão, o motorista permaneceu em silêncio durante o interrogatório realizado na Delegacia de Assis Chateaubriand. Inicialmente, ele afirmou que perdeu o controle da direção, mas essa versão não foi apresentada no depoimento oficial.

Elder Coutinho morreu atropelado por uma caminhonete, que invadiu o ginásio de esportes da cidade, quando ele chegava para trabalhar. Ele teve traumatismo craniano e morreu logo após chegar ao hospital. O adolescente e a criança atingidos foram socorridos e deixaram o hospital no mesmo dia.

A previsão é que o inquérito seja concluído e encaminhado ao Ministério Público Estadual (MP-PR) até sexta-feira (13).

O advogado do motorista preso, Hélio Lulu, disse ao G1/PR que só deve se manifestar sobre o caso no processo.

Notícia Relacionada: