O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou o ex-BBB Diego Gásquez, conhecido como Diego Alemão, pelos crimes de embriaguez ao volante, lesão corporal, desacato e ameaça. A denúncia foi em razão do acidente de trânsito que Alemão se envolveu em Curitiba, no dia 18 de abril. A Justiça ainda não se manifestou sobre a denúncia apresentada nesta segunda-feira (26), pelo promotor Fábio Andrades Gameiro.

Diego Alemão – Instagram

Diego Alemão chegou a ser preso após acidente ocorrido no fim da madrugada do dia 18 de abril, na Rua João Alencar Guimarães, no bairro Santa Quitéria. O ex-BBB dirigia uma Mitsubishi Pajero e bateu contra o Renault Fluence do motorista de aplicativo Fabio Rosário, que estava estacionado.

Após um princípio de confusão, Alemão acabou preso pela Polícia Militar e foi levado à Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). Ele permaneceu detido por aproximadamente 30 horas e foi liberado após pagar fiança de R$ 7 mil. Na sequência, Alemão foi indiciado pela Polícia Civil pelos mesmos crimes que constam agora na denúncia do MP-PR.

Diego ao lado de seu advogado Jeffrey Chiquini – Instagram

Defesa de Diego

A defesa considera que há uma ‘cruzada acusatória’ contra Diego Alemão.

“Um simples acidente de trânsito, sem prejuízos patrimoniais e sem vítimas, se transformou em uma cruzada acusatória contra Diego Gasques. Desde o início Diego buscou soluções pacíficas para o caso, mas, infelizmente, se deparou com pessoas mal intencionadas, que buscaram indevidas vantagens econômicas e publicidade com o caso.

É notório que os crimes praticados por Daniel Alves e seus advogados foram arquivados para não enfraquecer a acusação contra Diego Gasques.

Não poderíamos nos omitir diante dos crimes praticados. Por isso comunicamos as autoridades e buscamos uma solução processual para o caso.

A falta de coerência e imparcialidade da acusação, em evidente seletividade acusatória, é consequência da personalidade pública que o acusado representa.

Assim que notificados oficialmente, rebateremos as infundadas acusações e provaremos a inocência de Diego Gasques”, afirmou em nota o advogado Jeffrey Chiquini.

Defesa de Fábio Rosário

A defesa do motorista de aplicativo Fábio Reis Rosário, que teve o carro atingido no acidente provocado por Alemão, também se manifestou por meio de nota:

“O oferecimento de denúncia em desfavor de DIEGO BISSOLOTTI GASQUES pela prática de vários crimes ocorridos no fatídico dia 18.04.2020 é a confirmação do alegado por FÁBIO REIS ROSÁRIO durante toda a investigação criminal: a uma, que teve seu carro abalroado pelo denunciado, que dirigia alcoolizado; a duas, que foi agredido pelo denunciado; e a três, que jamais tentou exigir quantia indevida de ninguém. A denúncia, oferecida pelo Ministério Público, só reforça o lugar de cada personagem neste processo: o de DIEGO BISSOLOTTI como denunciado, e o de FÁBIO REIS ROSÁRIO como vítima”, diz o advogado Edson Luiz Facchi Jr.

Suspeita de extorsão

Em abril, três pessoas foram presas pela Polícia Civil suspeitas de cobrarem R$ 50 mil de Alemão pela não divulgação de imagens relacionadas a um acidente de trânsito que envolveu o ex-BBB. Em julho, o MP-PR pediu o arquivamento do inquérito em “face a ausência de provas suficientes da prática dos crimes de extorsão e associação criminosa, portanto, ausente a justa causa para oferecimento da denúncia”.

Segundo a Polícia Civil, o homem que filmou a prisão de Alemão em Curitiba, Daniel Alves, e os advogados Walter José de Fontes e Maurício Gomes Tesseroli teriam entrado em contato com o advogado Jeffrey Chiquini e oferecido um valor R$ 50 mil para a não divulgação de mais imagens da detenção. A prisão dos três, inclusive, aconteceu no escritório de Chiquini, com flagrante da suposta negociação.

No parecer, o MP-PR chega a citar a participação de Diego Alemão no Big Brother Brasil, “sendo ele, portanto, pessoa pública, sujeita à exposição, especialmente, de cunho midiático.”

Com o arquivamento dos crimes de extorsão e associação criminosa, a fraude processual foi encaminhada para ser apurada junto ao acidente de trânsito em que Alemão está sendo investigado.