Por Marina Sequinel e Flávia Barros

Um ex-bancário de 64 anos foi preso nesta terça-feira (12) em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, suspeito de aplicar o “golpe da caneta mágica”. Antonio Vacir Barbana acabou detido por policiais da Delegacia de Estelionato da capital, que investigam o criminoso há mais de um ano.

estelionato2(Foto: Flávia Barros – Banda B)

Segundo o delegado Wallace de Oliveira Brito, Barbana se passava por representante de seguradoras e, com informações privilegiadas, procurava as vítimas para que elas renovassem os contratos. “Ele fazia contato com as pessoas, principalmente médicos, forjava as apólices e fazia com que os ‘clientes’ assinassem um cheque para pagar uma taxa simbólica, de R$ 15 a R$ 30”, contou ele em entrevista à Banda B.

O próprio ex-bancário colocava o valor no cheque, com uma caneta especial, que pode ter a tinta removida. “Depois, ele apagava o número escrito com um componente químico e preenchia o cheque com outros valores, que chegavam a R$ 4 mil, R$ 5 mil. No banco, ele descontava essa quantia”, completou o delegado.

Barnana foi preso em Colombo, mas agia em Curitiba. De acordo com Brito, mais de 20 inquéritos sobre o caso tramitam na capital. “Era um golpe bem feito, porque ele tinha informações e um padrão de conhecimento das vítimas”, concluiu.

O ex-bancário deve responder pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e uso de documentos falsos. Ele permanece preso à disposição da Justiça.