Cátia Cavalari, mãe da jovem Ellyn Cauany Cavalari, de 22 anos, que desapareceu há 11 dias com uma amiga, Alyne Cristina de Souza, de 19, afirmou no final da tarde desta quarta-feira (7) que as duas estão entre as três vítimas encontradas com marcas de tiros em um matagal, em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba. A identidade dos corpos ainda não foi confirmada pela polícia.

Ellyn Cauany Cavalari – Foto: Reprodução/Facebook

“São elas, eu sei que são elas. A gente veio até o local, mas já sabendo que era minha filha porque vimos a foto dela. Judiação o que fizeram com ela. Eu tinha fé de encontrar ela viva. Falei para Deus mostrar onde estava minha filha. Agora nós queremos pelo menos fazer um enterro digno”, afirmou a mãe da jovem.

Os corpos foram localizados em uma área de desmanche de carros pela Guarda Municipal de Quatro Barras, possivelmente após uma denúncia anônima.

Segundo a mãe de Ellyn, a filha morava no Maranhão com o marido, mas voltou durante o mês de setembro para a casa da irmã em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba, após o relacionamento não dar certo.

Alyne teria chamado Ellyn para sair antes das duas desaparecerem. “A Alyne chamava ela para ir à balada, tirar uma noite, curtir e a minha filha descabeçada, fora da casinha, porque brigou com o marido, estava triste, foi com a Alyne. Essa Alyne já tinha rabo sujo não sei com quem e não quero saber”, relata Cátia que viu a filha pela última vez no Dia dos Pais.

(Foto: Colaboração)

As duas seriam amigas há nove anos. A mãe agora deseja Justiça. “Eu quero a Justiça divina e da terra. Minha filha não fez maldade para ninguém. Quero que façam exame para saber se teve ato sexual e se ela foi pega à força”, pediu.

O delegado Herculano de Abreu, da Delegacia do Alto Maracanã, que investiga o desaparecimento das jovens aguarda a confirmação da identidade dos corpos. “São moças bem novas. Aguardo o laudo da perícia para verificar se são as mulheres desaparecidas de Colombo“, disse ele.