O advogado Claudio Dalledone Junior, que defende o delegado Erik Busetti, de 45 anos, afirmou que o cliente está “desolado com a tragédia que vitimou ele”. O policial civil matou a esposa, a escrivã de polícia Maritza Guimarães de Souza, de 41 anos, e a filha dela, uma adolescente de 16, Ana Carolina Souza. O crime aconteceu na noite desta quarta-feira (4) no condomínio de sobrados em que a família morava no bairro Atuba, em Curitiba.

Delegado Érick e a esposa Maritza(Foto: Reprodução Facebook)

 

“Ele está desolado. A tragédia que vitimou a ele é algo que ninguém quer imaginar passar. Uma tragédia humana. Está atingindo profundadamente por tudo isto. Muita tristeza. Digo a vocês, em 25 anos em Tribunal de Juri, uma das cenas mais tristes que eu vi. Uma tragédia, uma tragédia”, disse Dalledone à Banda B.

O advogado falou sobre como está acompanhando o cliente. “Viemos aqui acompanhar a situação do delegado. Estamos acompanhando. Ele vai ser ouvido ainda durante os próximos dias. Foi ouvido no primeiro momento e outras pessoas serão ouvidas. Mais apurações estarão a cargo da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para efetivamente ver o que aconteceu. Muita dúvida e pouca resposta, por enquanto”. afirmou.

Dalledone falou sobre o que vai acontecer a partir de agora com o delegado. “A gente vai ver a situação dele, inclusive a prisional. Todos os policiais têm direito a ficar numa prisão que não tenha contato com outras pessoas que cometem delitos. Isto tudo vai ser salvaguardado”, concluiu.

No decorrer desta quinta-feira, uma coletiva de imprensa com mais detalhes do caso acontecerá na DHPP.