Três pessoas foram presas em flagrante neste sábado (11) por serem suspeitos de integrar um esquema de “delivery de drogas”, em Curitiba e Região Metropolitana (RMC). De acordo com informações divulgadas pela Polícia Militar do Paraná (PMPR), os suspeitos realizavam entregas de substâncias ilegais na região Leste da capital e em São José dos Pinhais (RMC). A operação realizada por equipes da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE) apreendeu 252 pontos de LSD, 90 gramas de haxixe, aproximadamente 12 quilos de maconha e R$ 3.650 em espécie com os suspeitos.

 

Foto: Djalma Malaquias/Banda B

 

O esquema, segundo a PMPR, consistia da seguinte forma. A pessoa entrava em contato com a equipe e fazia o pedido das drogas. Por sua vez, os suspeitos utilizavam mochilas de entregas de aplicativos para transportar o conteúdo. As mochilas eram para despistar a ação criminosa dos policiais.

Em entrevista à Banda B, o cabo Campos da RONE revelou que, na tarde deste sábado (11), uma equipe policial viu um destes entregadores, no bairro Uberaba. Após suspeitarem da ação do individuo, realizaram a abordagem. “A gente encontrou cinco quilos de maconha na bolsa. De imediato, ele disse que iria fazer uma entrega na região”, contou.

O suspeito também disse aos policiais que haveria mais drogas em uma casa, na cidade de São José dos Pinhais (RMC). “Fomos até o apartamento e localizamos os outros dois indivíduos. Havia também mais uma certa quantidade de maconha e ecstasy, um bom valor em dinheiro e uma balança de precisão”, detalhou Campos.

Investidas

Devido a forma que o esquema ocorria, Campos admitiu que é complicado identificar as possíveis irregularidades. Porque os suspeitos se passam como entregadores de aplicativos e os policiais não suspeitam da ação. “A gente acha que estas pessoas estão carregando produtos lícitos. No entanto, a partir de agora, estamos intensificando as abordagens nestes indivíduos. Neste sábado, tivemos sucesso em identificar este suspeito e aborda-lo”, concluiu.

Investigações

Os suspeitos foram encaminhados à Central de Flagrantes. Nenhum deles possuía passagens pela polícia. A Delegacia de São José dos Pinhais também investigará o caso.