Como uma pessoa pode ser enganada na hora de comprar um imóvel? Em Curitiba, um estelionatário preso na última terça-feira (19), era especialista neste tipo de golpe. De acordo com a Polícia Civil do Paraná (PCPR), o estelionatário de 37 anos já enganava compradores há 10 anos, chegou a ser preso e 10 dias depois que ganhou o direito do regime aberto, voltou a praticar os golpes imobiliários. De sete vítimas ele conseguiu cerca de R$ 700 mil.

Tudo começava como aluguel dos imóveis que ele tinha interesse em oferecer para venda na internet. Anunciava com valores atrativos, um pouco abaixo do mercado, e apareciam dezenas de interessados.

Ilustrativa – Pixabay

“Ele alugava o imóvel que queria anunciar na internet, tirava fotos, fazia vídeo e, com as chaves, mostrava para os interessados em visitas agendadas. Além disso, o estelionatário falsifica documentos da prefeitura, o que dava mais credibilidade ao negócio. A pessoa se interessava e dava um sinal para garantir a compra. Na sequência, começavam os problemas”, explica o delegado Guilherme Dias,  da Delegacia de Estelionato.

O mais recente golpe, segundo a polícia, foi de um apartamento localizado na Avenida Silva Jardim, em Curitiba. Dezenas de pessoas chegaram a visitar o imóvel. Ele induzia as vítimas a pagarem entre R$ 8 mil e R$ 60 mil para garantir a compra.

Após isso, o investigado exigia que o restante do valor fosse pago em curto espaço de tempo. Alegando que, se o pagamento não fosse efetuado, processaria as vítimas.

Com a série de documentação fraudulenta referente ao imóvel, as vítimas não conseguiam realizar a transferência e nem solicitar financiamento junto a instituições bancárias. Daí começavam as ameaças.

“Neste momento, ele se passava ou por advogado, dizendo que iria processar as vítimas, ou então por policial para intimidá-las. Com ele, apreendemos dois simulacros de arma de fogo”, completou o delegado.

O suspeito foi preso preventivamente. Ele estava em casa, em Araucária, na Região metropolitana de Curitiba, e não resistiu à prisão.

Delegado Guilherme Dias, da Delegacia de Estelionatos – Foto Banda B

O delegado disse ainda que, caso outras pessoas tenham sido vítimas de golpes como este, procurem a delegacia. Ele também orientou sobre como evitar cair em golpes como este. “Procurem imobiliárias ou plataformas de venda com credibilidade. Analisem a escritura do imóvel. Se houver procuração em nome de alguém para a venda, peça pra tratar direto com esta pessoa, enfim, busque todas as informações, inclusive checando as informações do imóvel junto à prefeitura”.

Sete vítimas do homem foram ouvidas na Delegacia da PCPR até o momento. Novas vítimas devem aparecer.