Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

A casa é improvisada. Dona Janete tem 50 anos e mora longe de casa há nove anos, desde que o vício pelo crack a motivou viver nas ruas. Com objetos, móveis e utensílios achados pelas lixeiras, ela montou um espaço embaixo de uma ponte no Bairro Alto, em Curitiba, limite com o município de Pinhais. A vida nas ruas lhe apresentou amigos – com trajetória semelhante. Na madrugada de hoje, Lacraia, que dormia no local esporadicamente, foi morto a tiros por três homens encapuzados, dentro da casa improvisada. Ela foi poupada, mas viu tudo e teme que algo possa acontecer.

O crime aconteceu na rua rua Pedro Eloi de Souza, por volta das 5 horas. “Eu estava dormindo e acordei para abrir pro Lacraia, que sempre vinha aqui pedindo pra dormir porque estava cansado e tudo mais. Eu abria a porta, como ele sempre ficava aqui, tinha até uns cobertores. Aí bateram na porta de novo, abri de novo, eram uns caras com capuz, dava pra ver só o olho, perguntaram dele e eu disse que estava aqui dentro”, detalhou Janete.

Mesmo com as súplicas dela, Lacraia foi morto dentro do local, com diversos disparos de arma de fogo. “Não adiantou, quando eu ouvi o primeiro, já saí correndo, foram um monte e depois ouvi barulho de porta de carro. Não sei que carro era, não sei quem eram, mas estou com medo”, contou a mãe de cinco filhos.

A Polícia Militar (PM) foi acionada, mas a identidade da vítima está sendo apurada de maneira oficial. A tenente Jéssica Moraes, do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM), disse à Banda B que a vítima tem envolvimento com o crime. “A testemunha relatou o crime, contou dos três encapuzados, o chamaram pelo apelido, seria um homem conhecido como Lacraia, mas motivação, autoria, não temos informações. Sabemos que ele tinha envolvimento com roubos de carros e era usuário de drogas”, conclui.

O corpo da vítima foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso. Janete finalizou contando que Lacraia estava feliz com o nascimento da filha, que aconteceu há 15 dias, mas foi descoberto por ele apenas na sexta-feira (13). “Essa vida é muito dura, um pecado viver assim”.