Dois foragidos da Justiça foram presos na manhã desta sexta-feira (31), em uma residência em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba. As prisões foram feitas por policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE). Segundo a polícia, eles planejavam atacar um carro-forte com o apoio de cerca de oito a dez pessoas, que estão sendo procuradas.

“Recebemos informações do setor de inteligência que eles estavam planejando o roubo a um carro-forte no interior do Paraná com explosivos e armamento pesado. Resolvemos agir de forma preventiva e descobrimos que estavam escondidos em uma casa na Região Metropolitana de Curitiba. Conseguimos os mandados de prisão e conseguimos prendê-los hoje”, disse o delegado Rodrigo Brow.

Prisão do Cope – Divulgação

Os dois homens estava foragidos do Sistema Penitenciário. Um deles seria um dos assaltantes de banco mais procurado do Rio Grande Sul. O outro é de Curitiba e já teria antecedentes por roubo a carro forte.

“Um era foragido do RS e o outro é um velho conhecido nosso aqui no Paraná. Já foi preso quatro vezes, sendo que da última vez, em 2018, trocou tiros com a polícia, foi baleado e se recuperou. Depois, conseguiu se evadir e estava planejando um novo crime”, completou Brow.

O delegado ressaltou que há muito tempo crimes assim, com explosivos contra carro-forte, não ocorrem mais no Paraná. “Tínhamos este tipo de crime quase todos os dias e com os trabalhos das forças de segurança conseguimos praticamente zerar este tipo de crime no estado”.

Defesa

Após a publicação da reportagem, a defesa de um dos detidos enviou nota à Banda B dizendo que a acusação se baseia em “meras ilações”. Ele estaria cumprindo pena em regime semi-aberto e teria tido saída temporária autorizada pela Justiça. Leia na íntegra:

“A defesa de Luciano Bshof Comper, representada pelo advogado Igor José Ogar esclarece que a acusação se baseia em meras ilações.

Registra-se que Luciano, cumpre pena em regime semi- aberto, no Rio Grande do Sul.

Após saída temporária autorizada pelo juízo da execução penal, Luciano não retornou a Colônia, em razão da pandemia e grande risco do corona vírus que assola o sistema prisional.

Tendo oportunamente comunicado ao órgão responsável.

Ademais, o investigado iria se apresentar em Curitiba, pois atualmente reside nesta comarca e cumpre pena no Rio Grande do Sul.

O acusado se coloca a disposição da justiça para esclarecer e colaborar com o poder judiciário.”

Assista aos vídeos com o momento da prisão: