O ‘justiceiro misterioso’ que matou um assaltante a tiros nesta sexta-feira (15) no bairro Fazendinha, em Curitiba, se apresentou à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) no início desta semana. De acordo com a polícia, o homem é dono da farmácia que foi alvo do ladrão, na Rua Arnaldo Thá.

Na ocasião, o suspeito, de 37 anos, rendeu o comerciante e apontou uma pistola contra ele, que reagiu e disparou na direção do homem. “Ele anunciou o assalto e, enquanto levava um funcionário para sacar o dinheiro do caixa, o proprietário foi até o escritório e pegou uma arma que possuía, devidamente registrada. O dono pediu para que o ladrão largasse a pistola, mas o rapaz fez o contrário, o que levou a vítima a atirar”, contou o delegado Osmar Feijó em entrevista à Banda B.

Logo após ser atingido, o suspeito saiu correndo e caiu morto do outro lado da rua. “Só depois nós descobrimos que a arma do homem era de brinquedo. Com medo de supostos parceiros do ladrão, o dono da farmácia fechou as portas e deixou o local. Ele contou que conseguiu o registro da arma porque já foi vítima de vários assaltos. Em um deles, o bandido chegou a atirar contra ele, mas a munição falhou”, completou o delegado.

Ao se apresentar na DHPP, o comerciante indicou onde estava a arma que usou contra o suspeito. Ela foi apreendida e encaminhada à perícia. O proprietário da farmácia foi indiciado por homicídio, interrogado e liberado, já que não estava em situação de flagrante. Segundo a polícia, o ladrão já tinha passagens por roubo e tráfico de drogas.

 

Notícia relacionada