Por Marina Sequinel e Antônio Nascimento

dona-mercado-dentro-231013-bandabEdna abriu o mercado com documentos de outra pessoa. (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

O mercado Super Pop, localizado em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, foi fechado na última terça-feira (22). A dona do estabelecimento é acusada de aplicar o chamado “Golpe de Arara”, em que uma empresa é criada ilegalmente para comprar produtos de mercados e distribuidoras e, depois, some “sem deixar vestígio”.

Edna Aparecida Gonçalves Tomaz Oliveira, de 43 anos, foi presa pela Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) após denúncia realizada por uma vítima da estelionatária. De acordo com o delegado da DEDC, Matheus Laiola, uma pessoa de origem simples disse aos policiais que havia deixado os documentos pessoais para Edina, que teria se apresentado como corretora de imóveis.

dona-mercado-231013-bandabO mercado vendia até produtos com prazo de validade vencido. (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

“Ela falou que o ajudaria a vender a propriedade rural dele. Depois de algum tempo, esse senhor ficou sabendo que tinham aberto um mercado no nome dele, que era gerenciado pela suposta corretora”, contou o delegado à Banda B.

Investigadores, então, foram até o local e abordou Edna. “Ao se identificarem como policiais, Edna recuou e disse que não sabia nada sobre quem era o dono do local”, completou.

Os policiais exigiram a origem dos produtos do mercado, mas nenhuma nota fiscal foi apresentada. Segundo Laiola, até produtos com prazo de validades vencidas estavam à venda no mercado. Toda a mercadoria também foi apreendida e Edna foi conduzida para a delegacia. O aluguel do imóvel não é pago desde outubro do ano passado. “Nós vamos continuar investigando se há participação de outras pessoas”, afirmou o delegado.

Loiola disse que vai pedir ao Poder Judiciário de Pinhais a autorização para que as mercadorias apreendidas que ainda estão em condições de uso sejam doadas para alguma instituição de caridade.