Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

O mistério no crime da empresária Clemans Abujamra, de 51 anos, está perto do fim. Pelo menos é o que garantiu o delegado responsável pelo caso, Dirceu Schactae, em entrevista à Banda B na tarde desta quarta-feira (27). A vítima foi encontrada morta com doze facadas no final do mês de abril na Rua Abrão Lerner, bairro do Batel, em Curitiba. Ela vivia na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, e vinha com frequência a Curitiba. Na ocasião tinha a intenção de adotar uma criança.

clemans-271113-bandabFoto: Reprodução

De acordo com o delegado Schctae, a forma em que o corpo foi encontrado indicava muita raiva, mas novos indícios e testemunhas levam a Delegacia de Homicídios a crer que em breve o caso estará resolvido e o autor preso. “A equipe de investigação caminha a passos largos para encontrar o autor do assassinato. O delegado anterior trabalhou muito bem no caso, mas as diferenças entre como cada um vê a situação está nos levando por um caminho muito positivo”, garantiu.

A investigação do caso chegou a ficar interrompida por dois meses, pós a DH pedir prorrogação do prazo para diligências ao Ministério Público (MP). O MP informou que o documento foi liberado pela promotoria no dia 19 de agosto, mas por entraves burocráticos só chegou no início do mês às mãos da titular da DH, Maritza Haisi.

Notícias Relacionadas:

Inquérito de empresária morta no Batel desaparece e caso continua sem solução

Veja os últimos momentos de empresária antes de ser assassinada na região do Batel