Foto: Reprodução

A defesa de Cristiana Brittes rebateu as declarações do promotor do Ministério Público do Paraná (MP-PR), João Nilton Salles, em reportagem apresentada na noite de ontem (25) pela TV Globo, durante o Programa Fantástico, quando afirmou que ela teve atuação determinante no crime. Em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (26), o advogado de Cristiana, Claudio Dalledone Júnior classificou com “absurdas” as alegações do promotor. “É estarrecedora a insinuação de que Cristiana foi culpada pelo crime que cometeu. É uma insinuação absolutamente destoada do que realmente aconteceu”, afirmou Dalledone.

Segundo ele, Cristiana não tinha condições de ter uma participação maior no crime do que a já alegada em depoimentos dos envolvidos. Dalledone afirma ainda que a esposa de Edison Brittes foi vítima de Daniel, no quarto do casal. “Essa mulher estava dormindo, estava embriagada, vulnerável, desmaiada na cama e o Daniel importunou sexualmente ela. O Daniel documentou essa importunação sexual, se não bastasse escrevendo, também o fez por fotografia e mais ainda, fez um áudio”, acrescentou.

“[O jogador Daniel] atacou sexualmente essa mulher e ela não pode ser punida por isso. Seria então o caso do promotor estar imaginando, porque ela estava vestindo roupas curtas e por ser bonita, que ela merecia ser atacada?”, questionou o advogado da família Brittes.

Dalledone crê que a as declarações do promotor deverão criar um novo debate sobre o caso. “Uma mulher não pode ser atacada porque ela é bonita ou usa roupa curta. Uma colocação com cunho absolutamente duvidoso e arraigado em uma cultura que há muito tempo nós estamos abandonando e os coletivos femininos recriminam”, completou.

Promotor

Ao Fantástico, o promotor disse que que Cristiana também seria indiciada por homicídio. “Com a análise do inquérito, a conclusão que eu cheguei é que todo esse crime de homicídio jamais teria acontecido da forma como aconteceu sem a atuação determinante da Cristiana”, afirmou o promotor.

De acordo com o inquérito da polícia, Daniel foi agredido e morto depois de ter sido flagrado por Edison Brittes deitado na cama de Cristiana. Edison, que confessou o crime em depoimento, disse que o jogador tentou estuprar Cristiana Brittes.

Antes do crime, Daniel enviou a um amigo mensagens e fotos deitado ao lado de Cristiana ela dormia.