(Foto: Banda B)

 

O corpo de um homem encontrado na tarde desta quarta-feira (20), em Curitiba, dentro de uma mala o lado da Pontifícia Universidade Católica (PUC), ainda não está identificado oficialmente. Apesar disso, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) divulgou informações importantes sobre o cadáver. Trata-se de um jovem branco -de no máximo 33 anos – um metro e 80 de altura, sem tatuagens e de nível social estável. Ainda, a DHPP informou que a morte dele teria acontecido há sete dias, possivelmente com um golpe na cabeça.

O delegado Cássio Conceição, da DHPP, disse que a arcada dentária da vítima está intacta. “Pelo dente, intacto, com ótima condição, dá para se dizer que é o corpo de uma pessoa com nível social estável. Ainda não podemos ter a identificação, que será o primeiro passo para definirmos o que aconteceu”, descreveu.

Segundo o delegado, a vítima teve os pés e mãos cortados para caber na mala. “Foi um trabalho que deixou os cortes assimétricos, justamente para caber na mala. Agora estamos tentando identificar quem deixou o objeto ali e quando isso aconteceu”, relatou.

O corpo estava às margens de um córrego, na Rua Imaculada Conceição, no Prado Velho, ao lado da Pontifícia Universidade Católica (PUC). Logo após a repercussão do caso, internautas levantaram a hipótese do corpo ser de um técnico de enfermagem que está desaparecido há mais de uma semana, depois que saiu durante o horário de trabalho de um hospital no Batel. “Isso será investigado, não temos informações concretas sobre quem é a vítima. Vamos chamar a esposa deste rapaz desaparecido e ver se há relação”, limitou-se a dizer.

Procurado pela Banda B, o irmão do trabalhador desaparecido afirmou que a família foi até o Instituto Médico Legal de Curitiba e não reconheceu o corpo como sendo do técnico de enfermagem.

Não há prazo para quando será possível identificar a vítima. A DHPP segue trabalhando para elucidar o caso.

 

 

Notícia Relacionada: