Chaiana e Sofia (Reprodução)

 

Uma criança de dez anos foi esfaqueada durante assalto no bairro Fazendinha, em Curitiba. A pequena Sofia brincava com uma amiga em frente a um salão de beleza quando dois rapazes exigiram os celulares das pequenas. O crime aconteceu no último sábado (27) e até a última terça-feira (30), a vítima seguia internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Trabalhador.

Mãe de Sofia, Chaiana Volce descreveu que todo o momento posterior à facada foi de muito desespero. “Eu não tinha noção que eles tinham usado uma faca, pensei que eram apenas as agressões e saí correndo para tentar defendê-la. Eu tentei tirar o tênis e entregar a chave do carro, que era para ver se ele desvencilhava. Um pouco depois, já dentro do salão, a Sofia me abraçou e apenas disse que não queria morrer. Foi um momento de desespero quando vi o corte, mas que eu não podia entrar em pânico, porque sabia que precisava defender ela”, relatou.

Uma das facadas perfurou no lado esquerdo de Sofia, teria passado a apenas dois centímetros do coração e perfurado o pulmão direito. Um segundo golpe atingiu a costela da pequena.

Chaiana conversava com a dona do salão de beleza, Tatiane Machado, quando os bandidos abordaram as duas meninas. Sofia e a filha de Tatiane, que tem sete anos, faziam um piquenique em frente ao estabelecimento comercial quando os bandidos chegaram.

À Banda B, Tatiane contou que o expediente do salão já havia encerrado, mas ela e Chaiana deixaram as pequenas continuarem brincando mais um pouco. “Como o sol estava se pondo, a gente percebeu que elas estavam tirando algumas fotos e deixamos. A gente acredita que eles estavam vindo em direção ao salão, que era o único estabelecimento que ainda estava com as luzes abertas naquele momento. Já a facada aconteceu em um momento que a Sofia tentou colocar o celular embaixo da coxa, eles provavelmente pensaram que ela tentou esconder o celular para pedir ajuda”, disse.

Prisão

Logo após o crime, vários vizinhos tentaram ajudar as vítimas e conseguiram realizar a detenção dos suspeitos. Um deles é um adolescente que recebeu um tiro no braço. Tatiane disse que ele se identificou como policial. “Ele perguntou o que tinha acontecido e contamos. Nisso ele se rebelou, disse que era policial de folga e que preferia não se identificar”, comentou.

O outro detido tem 27 anos e foi encaminhado à Polícia Civil. Ele foi autuado por tentativa de latrocínio e segue preso.