Com objetivo de ampliar a proteção de alunos e professores da rede estadual na região metropolitana de Curitiba, o Governo do Estado lançou nesta quarta-feira (11) o programa Escola Segura. Ao todo, 40 colégios estaduais passarão a contar com a presença de 77 policiais militares da reserva. O lançamento oficial foi feito no Colégio Estadual Elza Scherner Moro, em São José dos Pinhais.

Foto: AEN

De acordo com o governador Ratinho Junior, a ideia é que o programa seja ampliado gradativamente, para beneficiar o máximo de escolas possível. “O ambiente escolar precisa ser seguro e sadio, onde a criança e o jovem possam ter tranquilidade para estudar e aprender e os professores para ensinar. Acima de tudo, este programa ajuda a melhorar a segurança no entorno das escolas”, afirmou.

Na região metropolitana de Curitiba o programa beneficia escolas de Pinhais, São José dos Pinhais, Piraquara, Almirante Tamandaré, Colombo, Fazenda Rio Grande, Campo Largo, Campina Grande do Sul e Araucária.

Foto: AEN

Para o prefeito em exercício de São José dos Pinhais, Thiago Bührer, essa é mais uma ação para garantir a segurança nas escolas. “É toda essa integração entre escola, município e estado que dá um ganho muito grande para nossa população. Recentemente lançamos um centro de esporte aqui na cidade, que é justamente para fazer o atendimento e ocupar nossos estudantes no contraturno”, explicou.

O trabalho do Escola Segura se soma às atividades preventivas já desempenhadas pelo Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária (BPEC), unidade responsável pelo treinamento dos policiais militares voluntários e que coordena o trabalho nos colégios estaduais.

Programa

O Escola Segura prevê a integração entre o corpo pedagógico das escolas e os policiais com foco na mediação de conflitos. “Os policiais são selecionados e treinados para trabalharem integrados com os diretores e o time pedagógico da escola”, disse o secretário de Estado da Educação e do Esporte, Renato Feder.

“A comunidade escolar dos locais onde o programa foi implantado está elogiando muito. Os profissionais da educação podem se dedicar às questões pedagógicas e ao aprendizado do aluno, sem se preocupar com problemas de segurança”, ressaltou.

Os policiais fardados se revezam em dois horários (das 7h às 15h e das 15h às 23h) e se ocupam da segurança interna e do entorno. Os professores e a coordenação pedagógica desempenham papel preventivo de orientação, além de incentivar a participação da comunidade escolar em ações para coibir o tráfico e uso de drogas, violência, bullying e danos ao patrimônio público.