Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento

A morte de um recém-nascido movimentou a Polícia Militar (PM) de Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, na manhã desta quinta-feira (31). Uma mulher de 20 anos apareceu ensanguentada na maternidade do Hospital Nossa Senhora do Rocio e depois de uma conversa com policiais militares afirmou que matou o bebê logo após dar a luz, em um possível estado puerperal, popularmente conhecido como depressão pós-parto.

Segundo a PM, primeiramente a mulher, moradora em Três Córregos, na zona rural de Campo Largo, chegou a maternidade dizendo que deu a luz e teve o filho sequestrado. Desconfiando da história, os policiais conseguiram retirar dela a verdade: a mãe matou o recém-nascido.

“Ela já é mãe de uma criança de três anos e estava escondendo a gravidez do casal de idosos com quem mora de favor. Hoje de madrugada deu a luz e colocado o recém-nascido em uma sacola, o escondendo já morto no quintal da casa. O problema é que a moça teve uma forte hemorragia e precisou ser levada às pressas ao Hospital Nossa Senhora do Rocio”, contou à Banda B o sargento Élcio Baranhuk, da PM.

De acordo com a medicina, o estado puerperal faz com que, logo após o parto, a mãe não aceite o filho. Em casos mais graves, a doença pode levar ao infanticídio. Se ficar comprovado que o suposto crime aconteceu nessas condições, a mulher pode até ser inocentada.

“O corpo do bebê foi encontrado e levado ao Instituto Médico Legal de Curitiba. A jovem está internada ainda e assim que for liberada será ouvida pelos policiais da Delegacia de Campo Largo”, concluiu o sargento.