Da Redação com Blog do Lobão

Adolescente que matou Stephanie responde em liberdade (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma ação de pelo menos três homens aconteceu no fim da noite deste domingo (26) no bairro Campina da Barra, em Araucária, região metropolitana de Curitiba. Com garrafas plásticas em chamas, eles tentaram incendiar a residência do adolescente de 15 anos, que na semana passada atirou e matou uma menina de sete anos na região.

(Foto: Blog do Lobão)

As garrafas em chamas foram jogadas sobre o telhado da residência de alvenaria, que sofreu um princípio de incêndio. Desde a morte de Sthefane Maíra Alves dos Santos, o garoto não mora mais na região. A ação teria sido um protesto dos moradores pelo fato dele responder em liberdade pelo crime. A Delegacia local investiga o caso.

O Crime

O adolescente de 15 anos apreendido pela morte de Sthefan confessou que brincava com uma arma perto da menina quando ela teria disparado acidentalmente e atingido a cabeça dela. O caso aconteceu na tarde desta quarta-feira (22) na casa onde a criança morava em Araucária, na região metropolitana de Curitiba.

O menor, que é sobrinho da vítima, foi apreendido em flagrante. A princípio, ele disse à polícia que havia jogado uma pedra na cabeça da menina depois que ela começou a “perturbá-lo sem parar”. A versão, no entanto, foi colocada em xeque com o laudo provisório do Instituto Médico Legal, que apontou a causa da morte como “ferimento por arma de fogo”.

“Nós saímos de uma situação de homicídio intencional para uma morte acidental. O adolescente nos indicou onde a arma estava e nós a encontramos na casa dele. Se trata de uma espingarda calibre 12, por isso o grande estrago e a confusão ao precisar o que provocou o ferimento na vítima. A princípio, disseram até que havia sido um rojão”, explicou o delegado Cassiano Aufiero, responsável pelo caso. Ainda não há informações, no entanto, sobre a origem da arma.

Notícia Relacionada: