Por Luiz Henrique de Oliveira

rebeliao-pep2-dentroAgentes podem parar na quarta-feira (17) (Foto: Banda B)

A rebelião na PEP II (Penitenciária Estadual de Piraquara II), na região metropolitana de Curitiba, terminou no fim da tarde de sábado (13), sem feridos,  mas a tensão vivida pelos agentes penitenciários não. Para que alguma medida urgente seja tomada, o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen), não descarta uma greve geral, que será definida em uma assembleia marcada para a próxima quarta-feira (17).

Os agentes pretendem se reunir em frente ao Palácio Iguaçu, no bairro Centro Cívico, para definirem as atitudes a serem tomadas. “Não tem mais como sustentar essa situação. Precisamos de medidas da Secretaria de Justiça, como contratação de agentes e acabar com essa superlotação”, disse no site oficial do Sindarspen o presidente Antony Johnson.

Na rebelião do último fim de semana, dois agentes penitenciários e sete presos foram feitos reféns. Todos foram soltos sem ferimentos, após a negociação de trAnsferência para presos, bem como outras reivindicações dos presos como alvará de soltura e progressão de regime fechado para semiaberto.

Recorrente:

No último mês o Paraná foi alvo de quatro rebeliões. A maior aconteceu na Penitenciária de Cascavel, na região oeste, onde cinco presos morreram. Já a última aconteceu em Cruzeiro do Oeste na última quarta-feira.

Notícias Relacionadas:

Rebelião em Piraquara chega ao fim, reféns são liberados e presos serão transferidos