Câmeras de segurança da URBS foram usadas pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para chegar a conclusão sobre a identidade do suspeito de matar o empresário Sérgio de Abreu, de 44 anos, em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). A informação foi dada pela DHPP, em entrevista coletiva, na manhã desta sexta-feira (08) sobre a prisão do suposto assassino.

Segundo a DHPP, a polícia chegou a identificação deste suspeito após a verificação de imagens de câmeras de segurança, em que mostram o homem abandonando a caminhonete e se dirigindo a um ponto de ônibus.

“As 5h da manhã, depois de sair da casa de prostituição, a caminhonete foi até Almirante Tamandaré, abandonar o corpo e depois retornou até Curitiba. Quando o suspeito chegou na cidade, ele parou o carro que dirigia e pegou um ônibus. Nós temos a imagem das segurança da URBS”, explicou o delegado Tito Barichello, em entrevista à Banda B.

 

 

A prisão ocorreu quase um ano e meio depois da morte do empresário. O suspeito de 36 anos foi preso na cidade de Joinville (SC) em uma operação conjunta da Polícia Civil do Paraná e de Santa Catarina. “No momento da prisão ele reagiu. Ele tentou fugir, ao pular uma casa de dois andares. No entanto, ele se machucou e teve diversos ferimentos. Neste momento, foi dada a voz de prisão”, disse o delegado Tito Barichello.

Após ser ouvido no Presídio Regional de Joinville, ainda em Santa Cataria, o suspeito revelou que não estava se escondendo e a todo instante, esperava os policiais para cooperar com o trabalho. “Só que ele se mudou para Joinville. E quando nós chegamos, ele tentou fugir. Então, é um mentiroso, é um criminoso”, afirmou.

O delegado disse que o motivo do crime foi referente a um desentendimento sobre a casa comercial. “Ele discutiram e brigaram. O suspeito resolveu mata-lo”, pontuou.

A prisão ocorreu em cumprimento a mandado de prisão preventiva, na última semana de abril deste ano, em Joinville (SC) e a informação foi divulgada nesta sexta-feira (8).

O crime

O crime aconteceu no dia 8 de outubro de 2018. O corpo de Abreu foi encontrado na caminhonete Amarok Prata dele, na Rua Frederico Maurer, quase na esquina com a rua Sonia Maria, no bairro Hauer, em Curitiba. Abreu era proprietário de uma oficina mecânica no bairro Jardim Gianini, em Almirante Tamandaré.

Segundo a perícia, o corpo tinha marcas de arma branca e disparos de arma de fogo. Havia evidências de que ele teria sido levado ao local já morto, para desova e queima.