Uma homem de 44 anos foi baleado duas vezes após brigar com outras três pessoas no bairro Campo Pequeno, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba (RMC). Policiais Militares da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone) foram chamados para comparecer ao local e prestaram o primeiro atendimento à vítima até a chegada do helicóptero do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA). Segundo informações obtidas pela Banda B, o desentendimento entre os envolvidos foi motivado por um terreno residencial onde vivem várias pessoas.

 

As proximidades do terreno em Colombo. Foto: Daniela Sevieri/Banda B

 

Um morador da região conversou com a reportagem e disse que estava em casa no momento em que ouviu a discussão. “Eu escutei uma pessoa falando que não iria pagar o aluguel. Então, logo em seguida, eu ouvi o estouro. Mas não dei bola porque aqui sempre soltam aquelas bombinhas e coisas parecidas. Mas, veio a Rone e depois chegou a aeronave”, comentou o rapaz que não quis ser identificado.

O helicóptero do BPMOA levou a vítima com ferimentos no peito e no braço ao Hospital do Rocio.

Terreno

A reportagem também teve acesso a um Boletim de Ocorrência (BO) de uma moradora do terreno. Ela explicou que fez a denúncia devido a constantes ameaças de pessoas que se declaram donas do local e cobram o aluguel dos moradores. No entanto, de acordo com a mulher, a área é de invasão e isto não torna possível a cobrança destes valores.

“Eu tenho seis filhos e mais um neto recém nascido, e depois de tantos anos pagando aluguel nós descobrimos que é uma área de invasão. Este suposto ‘dono’ tem mandado os homens aqui para fazer cobranças e eles falam que não será sempre que a polícia está aqui para nos proteger. Nós não temos para onde ir, eles dizem para a gente sair”, disse a senhora que alegou morar no local há 11 anos e estar desempregada por conta da pandemia.

A mulher ainda ressaltou que foi por este motivo que o homem foi baleado. “Eu quero justiça e alguém que venha nos ajudar. A gente paga mais de R$ 600 reais por morar aqui”, disse a entrevista apoiada pelos demais moradores.

A Polícia Civil irá investigar o caso.

Outro lado

A esposa do dono do terreno procurou a Banda B para dar sua versão. Ela não quis que o nome dela fosse divulgado.

“Desde o começo da pandemia, moradores do terreno se reuniram para não pagar aluguel. Teve invasão de casa, uma pessoa passou para outra. Você conversa com uma pessoa e vem todos contra a gente. (…) Entramos em contato com uma corretora para por à venda e o corretor vai cuidar dos alugueis até vender. Cada vez que o corretor ia cobrar…briga também. Eles acham que ali é invasão, quem está certo é eles pronto. O meu esposo é o dono do terreno, a gente paga IPTU. Um inquilino pagou o aluguel e aí entrama na casa dele e balearam ele, nunca tivemos problemas com ele”, afirmou.