A Polícia Civil prendeu o suspeito de assassinar Charles Alexandre Ribeiro da Silva, no bairro Parolin, em Curitiba. O crime aconteceu em 10 de outubro e ele estava foragido da Justiça desde então. No entanto, o suspeito foi encontrado pela Polícia Militar (PM) na Praça Rui Barbosa, quando foi preso em flagrante por tráfico de drogas no dia 5 de novembro.

 

Foto: Divulgação Polícia Civil

 

Segundo a Polícia Civil, a vítima era usuária de drogas, mas também coautora de diversos crimes com o suspeito que foi preso. Mesmo assim, segundo o delegado Tito Barrichelo, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), isto não foi pensado na execução do assassinato.

“O crime aconteceu porque a vítima estava em posse de um veículo, um celular e uma bateria que pertenciam ao preso. Em virtude deste ato, o suspeito matou a vítima a sangue frio”, disse o delegado que também revelou o uso pistola semiautomática calibre 380 pelo suspeito no assassinato.

“Segundo testemunhas, ele se aproximou da vítima que ainda teria dito, em tom de brincadeira, para o criminoso, ‘da hora esta pistola, ein!?’. Isto porque eles tinham um relacionamento profissional, vinculado ao crime. Mas, na frente de várias testemunhas, esta pessoa desferiu inúmeros tiros”, destacou.

Prisão

Barrichelo disse ainda que o setor de inteligência começou as investigações do caso, quatro dias depois após a morte. “Mas, ele já tinha fugido. Então, nós conseguimos informações que ele estaria traficando na praça”, comentou. Foi quando a PM prendeu o rapaz no Centro da capital e, pouco tempo depois da prisão, a Justiça expediu o mandado de busca pelo homicídio realizado em outubro.

“Ou seja, nós prendemos uma pessoa que já estava presa. Isto é importante porque com dois mandados de prisão diferentes, nós temos uma garantia maior de que este criminoso irá ficar preso”, concluiu Barrichelo à Banda B.

O rapaz permanece preso e está a disposição da Justiça.

Matérias Relacionadas