O policial penal bolsonarista Jorge Guaranho, acusado de matar a tiros o tesoureiro do PT Marcelo Arruda, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, vai a júri popular por homicídio duplamente qualificado. A decisão do juiz Gustavo Germano Francisco Arguello foi proferida por volta das 17h20 desta quinta-feira (1º).

A defesa do réu havia pedido à Justiça que ele não respondesse por crime qualificado, mas a Justiça negou o afastamento das qualificadoras. Segundo a decisão, “a admissibilidade da qualificadora do motivo fútil está justificada na prova produzida”. A decisão cabe recurso.

O bolsonarista Jorge Guaranho, acusado de matar a tiros o petista Marcelo Arruda, em julho deste ano, em Foz do Iguaçu – Foto: Reprodução

“Do mesmo modo, a qualificadora do perigo comum deve ser admitida. A denúncia descreve que pessoas que ‘remanesciam na festa’ ‘tiveram suas vidas expostas à situação de perigo comum produzida deliberadamente pelo tiroteio iniciado pelo denunciado’“, diz um dos trechos.

Arguello também decidiu pela manutenção da prisão de Guaranho e negou o pedido de aguardar o julgamento em liberdade ao citar a “garantia da ordem pública” e a “particular gravidade do suposto delito em questão”.

Jorge Guaranho é acusado de matar a tiros o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores Marcelo Arruda na própria festa de aniversário, em julho deste ano, em Foz do Iguaçu. O tema da festa era o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Após o crime, Guaranho foi preso e segue sob custódia no Complexo Médico Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, desde 13 de agosto.

A Banda B tenta contato com a defesa de Guaranho.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Bolsonarista acusado de matar tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu vai a júri popular, decide Justiça

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.