Suspeito foi preso e reconhecido pelas vítimas – Foto: Banda B

O desespero de duas mulheres que que vendia produtos de cama, mesa e banho de porta em porta nas ruas de Curitiba, felizmente, durou pouco. As duas foram assaltadas por dois homens armados na manhã desta terça-feira (19) no momento em que faziam as vendas por volta das nove horas da manhã, na rua Francisco Fruet, no bairro Novo Mundo. Dentro do carro, haviam diversos produtos avaliados em R$20 mil em mercadoria. Desesperadas com o prejuízo, elas chamaram a polícia e, em poucas horas, tudo que havia sido levado foi recuperado e um dos suspeitos preso.

 

A equipe da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) localizou o veículo em frente à uma residência, no bairro Cidade Industrial de Curitiba, no momento em que realizava investigações de rotina. Após verificar a placa do carro, os policiais constataram que tratava-se de um veículo com alerta de furto e passaram a monitorá-lo à distância. Momento em que conseguiram abordar o suspeito identificado como Edmilson Montani, de 28 anos.

De acordo com o delegado-adjunto da especializada, Emmanoel David, o suspeito agiu com o apoio de um comparsa, identificado como Alexandre Machado Alves, 37 anos. “A dupla agiu de forma violenta e colocaram bastante pânico nas vítimas. Eles abordaram as mulheres e ordenaram que saíssem do veículo e lhes entregassem a chave do carro. Um deles levou o Logan roubado e o outro deu cobertura na fuga conduzindo um Peugeot preto”, conta o delegado. “Não bastasse as duas estarem pagando os produtos avaliados em R$ 20 mil de forma parcelada, ainda usavam um carro alugado. Se tivessem perdido tudo estariam numa situação muito ruim”, completou.

David informa que Alves não foi preso, pois, foi assassinado ao envolver-se em uma briga no bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC), horas após o crime. O homem era foragido da Justiça e havia passagens pelos crimes de tráfico de drogas, contrabando e porte ilegal de arma de fogo.

O homem de 28 anos, confessou sua participação no crime e foi submetido a reconhecimento facial. Ele foi reconhecido sem dúvida pelas vítimas.

Conforme apurou a polícia, Edmilson também conta com extensa ficha criminal, sendo que ele já respondeu por furto, roubo e receptação. Ele permanece custodiado no setor de carceragem temporária (Secat) e vai responder por mais este crime de roubo.