Foto: Colaboração/Banda B

A sede da cooperativa de catadores de materiais recicláveis do bairro Boqueirão (CATAPARANÁ) foi arrombada na madrugada desta quarta-feira (23), em Curitiba. Essa foi a quarta vez que o estabelecimento foi invadido por ladrões nos últimos dois meses. Na noite de hoje, foram levadas baterias de dois caminhões e de uma empilhadeira.

A instituição surgiu com o apoio da Prefeitura de Curitiba, que cedeu o barracão, na rua Salvador de Ferrante, para que as operações pudessem ser realizadas no bairro. A CATAPARANÁ ainda adquiriu caminhões e máquinas para a coleta dos materiais mas, desde dezembro, o local tem sido arrombado constantemente.

Uma funcionária da cooperativa, que preferiu não se identificar, lamentou a situação. “No primeiro roubo, eles levaram um microondas e o bujão de gás. Na segunda, roubaram algumas panelas e latinhas e, nas últimas duas vezes, deram ainda mais prejuízo, levando baterias dos veículos aqui do galpão”, contou. “A polícia veio investigar, mas nunca deu retorno pra gente”, relatou a colaboradora.

Valdomiro Pereira da Luz, presidente da cooperativa, conta que os prejuízos têm crescido a cada dia. “A gente trabalha diariamente para receber o material, mas agora temos dois caminhões parados, e ainda cortaram os cabos da bateria da empilhadeira. Nós não temos condição de comprar outra”, revelou o responsável pela CATAPARANÁ.

Ao todo, n os últimos setenta e cinco dias, foram levadas panelas, latinhas e cinco baterias de veículos da instituição. “O barracão é da prefeitura, então não podemos colocar cachorro aqui dentro, não é permitido. Antes tínhamos uma pessoa que cuidava do terreno, mas aí decidimos por não continuar com ela, pois não queremos arriscar a vida de um cooperado”, completou.

No começo da tarde de hoje, a Polícia Militar enviou à Banda B uma note explicando seu posicionando sobre o caso. Confira:

O policiamento preventivo, ostensivo e repressivo está sendo feito pelo 20º Batalhão de Polícia Militar com os recursos humanos e materiais que possui. A PM se coloca à disposição da população pelo telefone 190 no tocante à denúncias. Depois de consumados os fatos, a responsabilidade de investigação é da Polícia Civil, portanto a população deve registrar Boletim de Ocorrência para contribuir com o trabalho, além de denunciar os roubos e características de suspeitos, caso haja.