O homem acusado de matar a facadas Oziel Branques dos Santos dentro de um ônibus em Curitiba (PR), no último domingo (16), também é o principal suspeito de assassinar uma mulher, de 31 anos, dez dias antes. Vagner do Prado ainda teria matado uma terceira pessoa no mesmo dia em que atacou Oziel.

O assassinato da esposa

O primeiro ataque com golpes de faca aconteceu no dia 6, quando Vagner teria assassinado a própria esposa durante uma discussão por causa de um documento de identificação, como mostrou a Banda B. A vítima teria se recusado a entregar um RG ao marido e foi morta em seguida.

mulher-morta-facada-no-pescoço-centro-de-curitiba
06.06.2024 | A vítima foi atingida pela facada na jugular, segundo a Guarda Municipal – Foto: Banda B

A discussão entre eles teria começado na rua Emiliano Perneta, e o ataque, na rua Senador Alencar Guimarães, próximo ao numeral 137. Após o crime, o suspeito fugiu em direção à Praça Rui Barbosa. “Ele desferiu uma facada no pescoço da companheira. Infelizmente, ela levou uma facada na jugular e não demorou muito para que morresse”, disse o agente da Guarda Municipal (GM) Filgueira naquele dia.

A Polícia Civil chegou a pedir a prisão preventiva dele no dia 7 de junho, mas a Justiça ainda não autorizou a solicitação.

O ataque na Praça Rui Barbosa

Dez dias após matar a esposa e fugir em direção à Praça Rui Barbosa, na região central de Curitiba, o suspeito teria assassinado a facadas o jovem Mateus Leonardo Adão, de 24 anos.

A Polícia Militar (PM) informou que Matheus foi encontrado gravemente ferido após o ataque e chegou a ser socorrido ao hospital. “A equipe se deslocou até o local e se deparou com a vítima toda ensanguentada e desacordada no chão. Tinha muitas marcas de facada nas costas, no peito e braços”, disse o soldado Bazzani.

praça-rui-barbosa-2
A Praça Rui Barbosa, no Centro de Curitiba – Foto: Luiz Costa/SMCS

De acordo com o boletim de ocorrência ao qual a Banda B teve acesso, a PM foi acionada para comparecer ao local do crime por volta de 20h57 de domingo (16). Uma testemunha descreveu ter visto ao menos três homens atacando Mateus o abandonando ferido na praça.

“Solicitante informou que um indivíduo foi agredido a golpes de facas por três pessoas e que os mesmos se evadiram sentido [rua] Visconde de Nácar”, diz o registro da PM.

Ele foi levado para o Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, mas não resistiu aos ferimentos.

A morte de Oziel no ônibus

Minutos após fugir da Praça Rui Barbosa, Vagner teria entrado em um ônibus biarticulado da linha Santa Cândida/Capão Raso, no bairro Alto da Glória, em Curitiba, e assassinado a facadas Oziel Branques dos Santos, de 40 anos. A vítima teria sido atacada ao defender um casal de insultos transfóbicos.

O crime aconteceu próximo à estação-tubo Maria Clara, na Avenida João Gualberto, perto do numeral 575. O registro da ocorrência feito pela Polícia Militar mostra que uma equipe foi acionada para atender ao caso às 22h06 de domingo (16), ou seja, uma hora e nove minutos após Mateus Leonardo Adão ser morto.

Oziel Branques dos Santos, morto esfaqueado em onibus
Oziel Branques dos Santos, morto a facadas aos 40 anos após defender casal – Foto: Reprodução/Redes sociais

Os assassinatos na Praça Rui Barbosa e dentro do ônibus teriam sido cometidos por Vagner e o sobrinho, um adolescente de 17 anos. O homem teve sua prisão em flagrante convertida em preventiva por decisão da Justiça nesta terça-feira (18). O adolescente foi internado provisoriamente.

Oziel morreu após defender Jean Carlos de Oliveira e Camila Marçal Dias, ambos de 18 anos, de insultos homofóbicos e transfóbicos. Antes, Vagner teria perseguido o casal e proferido xingamentos. O sobrinho de Vagner é apontado como o responsável por esfaquear o autônomo até a morte.

Após o crime, tio e sobrinho fugiram em direção ao Passeio Público, no centro de Curitiba, mas foram presos por policiais militares. A faca usada no crime, que tem uma lâmina de 20 centímetros, foi encontrada com o adolescente.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Acusado de matar passageiro em ônibus também é suspeito de assassinar a própria esposa dez dias antes; veja linha do tempo

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.