A Seção de Homicídios da 13ª Subdivisão Policial cumpriu na manhã desta segunda-feira (17), mandados de busca e apreensão e de prisão temporária contra uma apresentadora de TV a cabo de Ponta Grossa. A investigação se refere ao caso da morte da transexual Gaby Scheifer, no dia 23 de junho.

A delegada responsável pelo caso, Tânia Sviercoski, informou que pela prisão ser temporária, a identificação da suspeita não será divulgada. Porém, em caso de prisão preventiva, o nome poderá ser divulgado.

GABY SCHEIFER MORREU NO DIA 23 DE JUNHO EM PONTA GROSSA/DIVULGAÇÃO

A ocorrência foi registrada no km 165 da BR-373 em Ponta Grossa. Segundo informações da Polícia Civil, a prisão foi requisitada após o órgão de segurança obter informações relativas à autoria da mulher que teria sido vista obrigando a vítima a entrar em seu veículo, antes dela ter sido encontrada morta nas margens da rodovia que liga os municípios de Castro e Ponta Grossa.

Gaby foi alvejada por dois disparos de arma de fogo e ao pedir por socorro, acabou sendo atropelada por um veículo que trafegava na via. Com as informações fornecidas por testemunhas presenciais, foi representado ao Juízo da 3ª Vara Criminal, pela expedição de mandado de busca domiciliar e prisão temporária do suspeito. As investigações prosseguirão nos 30 dias de vigência da prisão temporária.

Três tiros

A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) confirmou que a transsexual Gaby Scheifer, 19 anos, levou pelo menos três tiros antes de morrer. Ela foi encontrada morta após um atropelamento na rodovia. O Instituto Médico Legal (IML) identificou a vítima como Gabriel Scheifer e apontou o acidente de trânsito como causa da morte. A PRE foi chamada para atender o atropelamento por volta das 22h30. O veículo que bateu em Gaby possuía placas do município de Castro e a motorista parou para prestar socorro. A condutora foi submetida ao teste do bafômetro, que deu negativo.

Com informações da Polícia Civil

Mais informações da região de Ponta Grossa, clique aqui