Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento

RECALCATTI

cadeiadentro“É vergonhoso e terrível”, disse delegado (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Com duas celas capazes de abrigar quatro presos cada uma o 1° Distrito Policial, no Centro de Curitiba, onde dormiram nesta terça-feira (3) 28 presos, se tornou um barril de pólvora. No início da manhã desta quarta-feira (4) após mais uma tentativa de fuga o delegado Rubens Recalcatti não aguentou e ‘explodiu’.

Os presos que estavam alojados em uma sala interna, por falta de espaço nas cadeias, tentaram cavar um buraco e foram flagrados. Revoltado pela situação precária vivida no distrito o delegado desabafou: “Ou transfere, ou solta todo mundo”. (Ouça o ícone de áudio acima)

salaBandidos foram flagrados cavando buraco (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

De acordo com o delegado, os chamados  ‘ladrões de galinha’, que praticam pequenos crimes de tráfico ou furto na região central e ficam no 1° DP, acabam saindo de lá pior do que entraram. “É uma situação terrível e vergonhosa. Vocês estão vendo aqui quantos seres humanos entupidos em um buraco. Se eu coloco nas celas, não dá para todos ficarem nem de pé. Como ressocializar uma pessoa assim?”, questionou.

Recalcatti garantiu que já cansou de pedir uma atitude por parte dos órgãos responsáveis pela transferência de presos. “Falei com a vara de execuções penais, mandei um ofício para a OAB, para a comissão de Direitos Humanos, Secretaria de Justiça e Ministério Público, mas até agora nada. Ou transfere, ou solta todo mundo”, disse.

Com a tentativa de fuga os presos foram colocados apenas nas duas celas, 14 em cada uma. A sala interna usada como cadeia temporária foi desativada.