(Foto: Colaboração/Banda B)

 

Contaminados com sarna, 53 presos da Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba (RMC), foram transferidos nesta segunda-feira (11) para a Casa de Custódia de Piraquara (CCP). Já as duas mulheres que também estavam no local foram levadas para a Penitenciária Feminina.

De acordo com o Conselho da Comunidade da Comarca da RMC, o prazo para a transferência, determinado pela Vigilância Sanitária, venceu neste domingo (10). “Por causa disso, eles foram obrigados a retirar os presos de lá e os encaminharam para a CCP, que tem 1,5 mil detidos, então a situação ainda é preocupante. Se as medidas adequadas não forem tomadas, todo mundo será contaminado”, alertou a advogada Isabel Kugler Mendes, presidente do Conselho, em entrevista à Banda B.

O ideal, segundo ela, é que o prédio passe por um processo de limpeza e desinfestação para que não haja mais risco de contágio. “A primeira coisa que se deve fazer é dedetizar tudo e seguir os procedimentos informados pela Vigilância Sanitária”, completou.

Segundo a Secretaria da Segurança Público do estado (Sesp), somente a carceragem foi fechada, mas a delegacia continua atendendo normalmente.

Casos no Centro de Triagem

Informações do Conselho da Comunidade dão conta de que a superlotação de carceragens também tem provocado casos de sarna no Centro de Triagem de Curitiba, localizado na região central. O imóvel tem capacidade para 84 presos, mas abrigava 241 detentos nesta segunda. A Vigilância Sanitária foi acionada para realizar atendimento no local.