Redação

tatu-dentroVítima não tinha passagem pela polícia. Foto: Colaboração

O jovem Ronieverson Fagundes da Silva, 22 anos, estava marcado para morrer. Meses após ser ferido com cinco disparos de arma de fogo e sobreviver, Silva sofreu outro atentado e, desta vez, não resistiu. O crime aconteceu na rua Algacyr Manoel Voluz, Moradias Rio Bonito, no bairro Tatuquara, em Curitiba, dentro da casa da família.

Silva foi ferido por seis tiros e morreu na hora. Dois homens pulavam o muro da residência e efetuaram os disparos, embora outras duas pessoas estivessem no local. Familiares confirmaram à imprensa que o jovem tinha sofrido um atentado em dezembro do ano passado. Para se recuperar, ele foi para um sítio de parentes, no interior do Estado.

Há apenas uma semana de volta ao bairro, o crime aconteceu. A Polícia Militar (PM) afirmou que o rapaz não tinha passagem pela polícia. O tenente Kutler do 13º BPM disse que há poucas informações apuradas no local. “Um homem pulou o muro e executou a vítima que estava dentro de casa. Tinham duas pessoas na casa quando o crime aconteceu, mas eles não conseguiram ver quem eram os autores”, finalizou.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba e a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.