Após a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) ter autorizado o convívio de Allana Brittes e David Willian Vollero Silva, a jovem – investigada pela morte do jogador Daniel Corrêa Freitas – alterou o status e o sobrenome no Instagram. A decisão do TJ foi formalizada na última semana.

allana brittes (1)
Reprodução Instagram

De acordo com o advogado Elias Mattar Assad, que representa Allana, ela e David eram namorados na época do crime e precisaram se afastar por decisão judicial. Mas o amor dos dois não foi abalado pela prisão.

Neste sábado (28), quem acessa o perfil dela no Instagram encontra o nome: Allana Brittes Vollero e a descrição da biografia como “casada”. A jovem conta com quase 70 mil seguidores na rede social.

Allana passou nove meses e sete dias na prisão, sendo liberada em 7 de agosto de 2019. Enquanto David ficou preso por onze meses e dois dias, ele foi solto em 9 de outubro daquele ano.

Julgamento ainda sem data

O assassinato do jogador Daniel completou cinco anos nesta sexta-feira (27) e ainda não tem julgamento marcado. Sete pessoas respondem pelo crime: cinco em liberdade e duas presas.

Estão em liberdade: Evellyn Brisola Perusso (que nunca foi presa), Allana Brittes, Cristiana Brittes, David Willian Vollero Silva e Ygor King.

Os dois réus que permanecem na cadeia são: Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, que havia conseguido liberdade provisória em outubro de 2019, mas foi detido em flagrante por roubo em dezembro de 2020; e Edison Brittes Junior, que segue preso desde a época do assassinato.

O crime

Daniel, de 24 anos, era convidado da festa de aniversário de Allana Brittes em uma casa noturna, em Curitiba. Depois da balada, ele e outras dez pessoas esticaram a comemoração na casa da Família Brittes, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo a investigação, o conflito entre Daniel e Edison Brittes (pai da aniversariante) foi motivado por fotos e áudios enviados pelo jogador em um grupo de amigos no WhatsApp. Nas mensagens, o atleta se vangloriava por estar na cama ao lado de Cristiana Brittes, esposa de Edison.

Daniel teria sido espancado na casa e depois levado no porta-malas de um carro até a Colônia Mergulhão, na zona rural de São José dos Pinhais. Onde apanhou mais, foi degolado e teve o pênis decepado. O corpo foi encontrado por um morador na manhã de 27 de outubro de 2018.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Após autorização da Justiça, Allana Brittes muda sobrenome e status no Instagram: “Casada”

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.