Redação

rebeliao-pepRebelião começou no fim da tarde de ontem (12). Foto: Banda B

Um dos agentes penitenciários que estava sendo mantido refém pelos presos rebelados da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP 2) foi liberado no início da tarde de hoje (13). Ele não está ferido e foi solto em negociação por transferência de presos. Um preso também foi liberado durante as negociações. A rebelião acontece desde sexta-feira (12) e outras seis pessoas continuam nas mãos dos presos: um agente penitenciário e cinco presos do chamado ‘bloco seguro’ . As negociações com o Batalhão de Operações Especiais (Bope) continuam. Um refém teve os dedos dos pés cortados.

De acordo com informações obtidas pela Banda B, um agente penitenciário foi solto em troca de, ao todo, 55 transferências para outros presídios: Araucária, São José, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu. Outros 13 presos estão em uma lista que está sendo negociada. Esses querem transferência para o estado de Santa Catarina: cidades de Joinville e Porto União.

Os pedidos dos presos estão sendo analisadas por juízes da 2ª Vara de Execuções Penais de Piraquara, já que há solicitações de alvarás de soltura e progressão de regime, além de mais transferências.

A Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná informou que os presos rebelados não estão sendo violentos e que também não fazem parte de nenhuma facção criminosa. Segundo informações recebidas pela Banda B, 18 presos comandam a rebelião, que tomou força quando eles – da galeria 9 – invadiram a galeria 10, onde fica o ‘bloco seguro’, celas que abrigam ex-policiais, policiais militares e civis, agentes, estupradores e outros.

Detalhes do motim dão conta de que sete reféns se passaram por rebelados no momento em que eles invadiram a galeria 10. Assim que tiveram oportunidade, escaparam por uma passarela e foram escoltados pela Polícia Militar (PM). Outro refém conseguiu fugir pelo telhado, outro quebrou as pernas ao escapar de uma altura de 10 metros.