Por Marina Sequinel e Luiz Henrique de Oliveira

O advogado do menino que matou a tia a facadas, na última quinta-feira (6), informou à Banda B que a defesa espera o laudo de exames para confirmar o transtorno mental sofrido pelo menor. Segundo Onilson Magalhães, o adolescente não tem condições de discernimento sobre o que é certo e errado e, por isso, não teve a intenção de matar. O crime, que chocou todo o Paraná, aconteceu no bairro Hauer, em Curitiba, dentro da casa da família.

adolescente-caso-hauer-130314-bandab(Foto: Reprodução/Facebook)

“O fato de ele ter dito, na frente da polícia, que não se arrependeu do homicídio mostra que ele não tem noção do ato que cometeu. Que tipo de assassino faz esse tipo de afirmação?”, questionou o advogado, em entrevista à reportagem nesta quinta-feira (13).

De acordo com Magalhães, apenas o cárcere não vai resolver o problema do menor. Por isso, a família quer que o menino seja tratado em uma clínica adequada. “Nós vamos trabalhar pela ressocialização dele. Os familiares pedem por isso, já que eles lamentam não terem percebido a condição dele antes”, completou.

O garoto está, no momento, na Delegacia do Adolescente (DA), recebendo remédios devido ao distúrbio, segundo o advogado. Os laudos dos exames psicológicos e psiquiátricos devem demorar cerca de 45 dias para ficarem prontos. “Até agora, não há muiita diferença no que a defesa e a promotoria acreditam”, concluiu o advogado.

A Banda B tentou entrar em contato com a delegada responsável pelo caso, mas ela estava em reunião e não pôde atender a reportagem.

Notícia relacionada

Mãe de garoto que matou a tia diz que irmã o amava muito; delegada dá detalhes do caso que chocou Curitiba