Por Luiz Henrique de Oliveira e Daniela Sevieri

rebeliao-dentroPolícia fez vistoria dentro do Cense após fuga (Foto: Colaboração)

Um princípio de rebelião resultou na fuga de seis adolescentes do Centro de Socieducação, o Cense, na região do bairro Guatupê, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, por volta das 14h30 desta terça-feira. A confusão aconteceu no momento que um grupo de nove adolescentes seguia para uma aula de educação física. Eles estavam acompanhados de quatro educadores, que foram esfaqueados.

Os adolescentes estavam munidos de facas improvisadas. Seis deles conseguiram fugir pulando o muro do Cense. Os quatro agentes feridos foram socorridos ao Hospital Cajuru, em Curitiba, sendo que três deles, com ferimentos superficiais, já receberam alta. O quarto ferido, com ferimentos moderados, permanece internado.

Dos seis adolescentes, apenas um foi recapturado. Na noite dessa terça-feira,por volta das 23hrs, um princípio de rebelião voltou a ocorrer, conforme destacou à Banda B o tenente Cason, da Polícia Militar. “Foi feita uma atuação preventiva agora a noite e houve uma vistoria no local. Após isso, os detentos foram levados novamente as celas”, descreveu.

O Cense tem capacidade para 78 adolescentes infratores e possuía 74 no momento da fuga, na tarde desta terça-feira. A Secretaria de Justiça, Trabalho e Direitos Humanos manifestou solidariedade aos profissionais e afirmou que todos os procedimentos formais estão sendo realizados pela a administração

Nota da Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos

Na tarde desta terça-feira (15) seis adolescentes empreenderam fuga do Centro de Socioeducação São José dos Pinhais que possui capacidade para 78 adolescentes. A unidade encontrava-se com 74 adolescentes. Um já foi recapturado.

Os Adolescentes estavam sendo deslocados para atividades esportivas no ginásio de esportes da unidade, quando agrediram quatro educadores sociais.

Os educadores sociais foram imediatamente levados até o Hospital Cajuru e não sofrem riscos. Três educadores já receberam alta e um encontra-se em observação com chances de alta para amanhã. Na ocasião havia nove adolescentes sendo deslocados com uma equipe de dez educadores sociais.

A Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos (SEJU) manifesta solidariedade aos profissionais, e que todos os procedimentos formais estão sendo realizados pela a administração.