do Espaço Vital

Juiz do Trabalho Cláudio Roberto Ost morto em abril – Foto: TRF4

O adolescente confesso de matar a tiros o juiz do Trabalho Cláudio Roberto Ost cumprirá medida socioeducativa de internação, sem possibilidade de atividade externa. A decisão é do juiz André de Oliveira Pires, da 4ª Vara da Infância e Juventude de Porto Alegre. O crime aconteceu em 15 de abril, na Zona Sul de Porto Alegre.

O réu encontra-se recolhido na FASE – Fundação de Assistência Sócio-Educativa, desde o dia seguinte ao crime; aí permanecerá (se não fugir), para o cumprimento definitivo da medida, que tem prazo máximo de três anos. A partir da definição do tipo de medida socioeducativa, o cumprimento será acompanhado por um magistrado. Este, a cada seis meses, com base em relatórios elaborados pela equipe técnica da FASE, reavaliará a situação do internado, podendo manter ou progredir o regime atual.

Foi-se uma vida… Ficou o resto. Esta é a lei.

Outros detalhes

 Segundo a Polícia Civil, o autor do homicídio, 17 de idade, tinha antecedentes por outros atos infracionais, como posse de drogas e por dirigir sem habilitação: ele já tinha sido internado na FASE em outro momento. A ex-namorada dele – pivô do crime – tem 25 de idade.

 O crime ocorreu em frente à casa da companheira do juiz, no bairro Aberta dos Morros. Eles saíam do local quando Cláudio foi atingido por quatro disparos. Ele estava acompanhado do filho de 9 anos. O autor dos disparos fugiu do local.

 No dia seguinte ao homicídio, o menor apresentou-se à polícia, assumindo a autoria do crime. A delegada Sonia Patel, que estava no plantão do Deca, fez o pedido de internação do adolescente na Fundação de Atendimento Socieducativo (Fase) em Porto Alegre.

 Um menino com nove anos – filho do juiz – vive um segundo drama. Em janeiro de 2011, a mãe dele, Lourdes Terezinha Külzer, 37 anos, morreu em um acidente de trânsito.

• O sepultamento do juiz ocorreu em Santo Cristo (RS), cidade onde ele nascera.