A morte do professor de Geografia, Ronaldo Pescador, de 40 anos, deverá ser esclarecida em até 15 dias. A informação foi dada pelo delegado Tito Livio Barrichelo, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em entrevista à imprensa na manhã desta terça-feira (3). Barrichelo ainda afirmou que mais de uma pessoa participou da execução, de acordo com os indícios já apurados.

(Foto: Marcelo Borges / Banda B)

 

“Nunca descartamos hipótese nenhuma de investigação. Desde uma execução até um crime passional. As investigações estão adiantadas e em 15 dias teremos os criminosos presos. Possivelmente, o crime também teve coautor”, descreveu o delegado, que preferiu não dar mais detalhes referentes a linha de investigação da morte do professor, encontrado morto no sábado com uma peça de roupa íntima feminina na boca.

Ainda de acordo com o delegado, o professor esteve em uma festa rave na sexta-feira e teria sido assassinado no sábado. “Foi desovado e o corpo encontrado no domingo. Estamos nos aproximando dos criminosos e vamos esclarecer este caso, que tem causado tanta comoção”, apontou Barrichelo.

O crime

O corpo do professor estava enrolado em um tapete, um lençol, amarrados com fios elétricos e com uma lingerie na boca. O caso aconteceu na manhã deste domingo (1) e a vítima estava no banco do próprio carro. Ele teria sido vítima de agressões.