A partir desta segunda-feira (3), toda a população pode se vacinar contra a gripe, inclusive quem faz parte do público prioritário e que ainda não se vacinou. De acordo com o Ministério da Saúde, a vacinação vai continuar enquanto durarem os estoques. As informações são da Agência Brasil.

Até a última sexta-feira (31), quando terminou a campanha nacional, quase 80% do público prioritário foi vacinado, o que representa 47,5 milhões de pessoas. Os grupos prioritários tiveram entre os dias 10 de abril e 31 de maio para se vacinar com exclusividade.

Durante esse período, foram priorizados 59,4 milhões de pessoas, entre elas, gestantes, puérperas, crianças entre 6 meses a menores de 6 anos, idosos, indígenas, professores, trabalhadores de saúde, pessoas com comorbidades, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade, além de profissionais de segurança e salvamento.

Até agora, seis estados já bateram a meta de 90%: Amazonas (98,5%), Amapá (98,5%), Pernambuco (93,6%), Espírito Santo (91,3%), Rondônia (90,4%) e Maranhão (90%). Os estados com menor cobertura são: Rio de Janeiro (63,7%), Acre (73%) e São Paulo (73,1%).

Segundo o ministério, a escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) por serem grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina é a forma mais eficaz de evitar a doença.

Paraná

A secretaria estadual segue orientação do Ministério da Saúde de atingir 90% de cobertura vacinal. De acordo com o balanço de cobertura vacinal, os idosos e os funcionários do sistema prisional foram os que mais procuraram os postos para a vacinação, chegando a 100% do público imunizado no Paraná. Os indígenas registram 96% e as puérperas, 90%. Os demais grupos apresentam cobertura vacinal entre 60% e 89%.

Vacinação. Foto: Venilton Küchler

A enfermeira Vera Rita Maia, da Divisão de Vigilância do Programa de Imunização da Secretaria da Saúde, alerta que o inverno começa em menos de um mês e que trata-se de uma doença que parece simples, mas pode ser grave. “A infecção pelo vírus influenza, pode evoluir com complicações como pneumonia, internação hospitalar e, em algumas situações, evoluir para o óbito”.

NÚMEROS

O boletim sobre a situação da gripe influenza no Paraná divulgado nesta quarta-feira (29/05) pela Secretaria da Saúde do Paraná registra 133 casos confirmados, com 37 mortes. São seis óbitos a mais que na semana anterior.

Os casos aconteceram em Almirante Tamandaré (menino de 1 ano), Paranavaí (homem de 49 anos), Santa Terezinha de Itaipu, (mulher de 60 anos), Paranaguá (mulher de 75 anos), Curitiba (homem de 76 anos) e Foz do Iguaçu (homem de 91 anos).

PREVENÇÃO

A enfermeira Vera Rita ressalta que a gripe é uma doença respiratória aguda que deve ser levada a sério. Os sintomas são febre, tosse, dores no corpo e na garganta, fadiga e calafrio.

“Além da vacina, é importante adotar outras medidas de prevenção, como a higienização das mãos, manter os ambientes ventilados e não compartilhar objetos de uso pessoal. Ao tossir ou espirrar é preciso cobrir o nariz e a boca com lenço descartável ou com a dobra do cotovelo”, aconselha.