A secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, afirmou durante live transmitida pela página da prefeitura no Facebook que testes de detecção do novo coronavírus realizados por farmácias serão contabilizados pelo órgão a partir desta quinta-feira (28). Com esses resultados sendo computados, a previsão da secretária é que os casos confirmados da doença na capital passem de mil.

Foto: Reprodução/Prefeitura de Curitiba

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a aplicação de testes rápidos em farmácias, no dia 29 de abril, que detectam pessoas com anticorpos contra a Covid-19 no organismo. A medida tem como objetivo ampliar o acesso da população aos testes e, consequentemente, diminuir a procura por serviços de saúde.

Na resolução da Anvisa, há a ressalva de que esse tipo de teste não serve para confirmar o diagnóstico da doença, porém auxilia o mapeamento do quadro de saúde da população.

Também conhecidos como testes sorológicos, eles são feitos a partir de uma amostra de sangue coletado do paciente. De acordo com a médica infectologista da secretaria, Marion Burger, o exame traz o resultado em torno de 10 a 30 minutos.

100 novos casos

Com a computação dos resultados desses testes, Curitiba deve ter um um aumento de cerca de 100 casos confirmados de coronavírus. Contudo, Huçulak frisa que a inclusão dos resultados desses testes não vai refletir, necessariamente, em uma explosão de contaminados na cidade. “Esses casos são aqueles em que o paciente teve contato com o vírus e já apresenta anticorpos. Isso significa que a pessoa está protegida, por ora, já que não há comprovações de que quem foi infectado pode sofrer com isso novamente”, explicou.

Foto: Marcelo Fonseca/Folhapress

Anticorpos

A testagem rápida detecta dois tipos de anticorpos: IgM e IgG. O primeiro é identificado logo nos primeiros dias de contato com o vírus, já o segundo é constatado depois de – aproximadamente – 10 dias da contaminação. A diferença entre os dois é que o IgM desaparece rapidamente e o IgG permanece no organismo por um longo tempo, o que faz com que o paciente não seja infectado novamente, em teoria.

Curitiba registrou nesta quarta-feira (27) a 40ª morte em decorrência do vírus. O paciente, de 79 anos, faleceu na terça-feira (26) e estava internado desde o dia 20 de maio.

 

Boletim epidemiológico de Curitiba (27/05)

  • 2.060 descartados
  • 365 suspeitos
  • 995 confirmados
  • 727 recuperados
  • 40 óbitos